Navigation

Como evoluiu o Parlamento Suíço nos últimos 50 anos

A Câmara dos Deputados, também conhecida como Conselho Nacional, é a maior casa do Parlamento suíço e conta com 200 representantes. © Keystone / Alessandro Della Valle

No dia 20 de outubro deste ano, os cidadãos suíços irão às urnas para eleger seu novo parlamento. Apresentamos aqui uma visão geral de como as forças políticas na Câmara dos Deputados mudaram ao longo do último meio século. 

Este conteúdo foi publicado em 02. julho 2019 - 11:00
Alexandra Kohler (gráficos) e Marie Vuilleumier (texto)

A principal conclusão é que o equilíbrio de poder no parlamento suíço permaneceu muito estável, apesar das eleições a cada quatro anos para escolher os 200 membros da Câmara dos Deputados e os 46 senadores. 

No entanto, como mostra o gráfico abaixo, o equilíbrio de poder na Câmara dos Deputados tem registrado pequenas variações contínuas desde 1971, seja através do fortalecimento de pequenos grupos, do surgimento de novos movimentos ou do enfraquecimento de outros.  

Conteúdo externo

Em geral, e não apenas desde 1971, mas também desde 1919, o parlamento tem sido notavelmente estável no que se refere à representação dos quatro principais partidos do país: Liberals-Radicais (centro-direita), Democratas Cristãos (centro-direita), Partido Popular (direita conservadora) e Socialistas (centro-esquerda).

Guinada à direita 

No final da década de 1990, mudanças mais significativas começaram a tomar forma, particularmente dentro dos partidos do establishment, diz Georg Lutz, da Universidade de Lausanne.  

"O Partido Popular conseguiu atrair um eleitorado mais conservador, graças à mudança de preocupações após o fim da Guerra Fria. Agora, parte da população suíça não considera mais o comunismo como a maior ameaça, mas a globalização, os estrangeiros e a União Europeia", diz ele. 

O Partido Popular preencheu a lacuna, utilizando essas preocupações para atrair mais eleitores de direita. "Não se trata de uma guinada dos cidadãos para a direita, mas sim um caso de mudança na estrutura dos partidos tradicionais", explica Lutz.

Conteúdo externo

Novos movimentos 

Assim, a partir de 2007, novos grupos de centro-direita começaram a tomar forma: o Partido Democrático Conservador (separado do Partido Popular) e os Verdes Liberais (ecologistas centristas).  

"Ao longo da história, sempre houve pequenos partidos que conseguiram ter sucesso em certos pontos", diz Lutz. "Os Verdes, por enquanto, são os únicos que conseguiram emergir e consolidar sua presença a longo prazo." 

O cientista político considera que a composição política relativamente estável do parlamento suíço dificilmente sofrerá grandes mudanças nas próximas eleições. As sondagens sugerem mudanças de poder partidário de 2-3%, mínimas em comparação com outros países. 

Mas essas pequenas mudanças podem ter consequências maiores. 

"O Partido Popular e os Radicais-Liberais podem perder sua maioria na Câmara dos Deputados", diz Lutz. "Com um forte impulso dos Verdes, o parlamento pode tender um pouco para a esquerda". 

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.