Navigation

Corte de apelação italiana inocenta Berlusconi de duas acusações

Este conteúdo foi publicado em 18. julho 2014 - 13:28

MILÃO Itália (Reuters) - Uma corte de apelação na Itália derrubou na sexta-feira a condenação de Silvio Berlusconi por acusações de abuso de poder e pagar para fazer sexo com uma menor de idade, em uma significativa vitória legal para o ex-primeiro-ministro italiano.

O tribunal de Milão desconsiderou inesperadamente o veredicto de culpado proferido no ano passado por um tribunal de instância inferior, que sentenciou Berlusconi a sete anos de prisão.

Berlusconi foi acusado de pagar para fazer sexo com a ex-dançarina de casas noturnas Kharima el Mahroug, mais conhecida pelo nome de "Ruby, a ladra de corações', quando ela tinha menos de 18 anos, e por abuso de autoridade para obter a libertação dela de custódia policial, quando acusada de roubo.

"Um veredicto que vai além de nossas expectativas mais otimistas", disse a repórteres um advogado de Berlusconi, Franco Coppi.

Berlusconi, que foi primeiro-ministro por quatro vezes e ainda é o mais influente político da centro-direita italiana, sempre negou as acusações e acusava os magistrados de Milão de persegui-lo por motivos políticos.

O veredicto desta sexta-feira no julgamento de apelação mais sensacionalista entre os processos enfrentados por Berlusconi não é definitivo porque os promotores poderão entrar com um recurso na principal corte da Itália.

(Reportagem de Ilaria Polleschi e Manuela D'Alessandro)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.