Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos afirmaram nesta quinta-feira que a Rússia está disparando artilharia ao longo da fronteira com a Ucrânia com o objetivo de atingir posições militares ucranianas no conflito contra os separatistas pró-russos.

"Temos novas evidências de que os russos pretendem entregar lançadores de foguetes mais pesados ​​e mais potentes para as forças separatistas na Ucrânia, e temos evidências de que a Rússia está disparando artilharia de dentro da Rússia para atacar posições militares ucranianas", disse a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Marie Harf.

Em uma declaração à imprensa, Harf citou relatórios de inteligência, mas disse que não podia dar mais informações.

A Rússia, no passado, negou que está diretamente envolvida com a rebelião no país vizinho, mas os Estados Unidos e seus aliados europeus acusam Moscou de armar e encorajar a revolta e, em resposta, impuseram sanções contra os russos.

O Conselho de Segurança da Ucrânia disse na quarta-feira que informações preliminares indicaram que os mísseis que derrubaram dois aviões de combate do governo sobre o leste da Ucrânia foram disparados da Rússia.

O Ministério da Defesa russo rejeitou nesta quinta-feira a acusação, alegando que era "uma tentativa de enganar o público", afirmou a agência de notícias Interfax, citando um funcionário do ministério.

(Reportagem de David Storey)

Reuters