Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Isra' e al-Rubei'i e Ahmed Rasheed

BAGDÁ (Reuters) - O Exército iraquiano e forças milicianas xiitas lançaram uma ofensiva nesta terça-feira para retomar a cidade de Tikrit de militantes islâmicos, em um momento no qual parlamentares em Bagdá preparavam uma votação para um novo presidente do Parlamento, em uma possível iniciativa para encerrar meses de impasse político.

O Ministério da Defesa disse que tropas terrestres com apoio aéreo começaram a ofensiva ao amanhecer contra os insurgentes, liderados pelo Estado Islâmico, uma facção dissidente da Al Qaeda que tem controlado Tikrit desde meados de junho.

Se o Exército e as milícias aliadas retomarem Tikrit, cidade natal de Saddam Hussein, seria a primeira localidade controlada pelos insurgentes a voltar ao comando do governo desde que a mais recente crise no Iraque irrompeu no mês passado.

A ofensiva acontece enquanto o Parlamento iraquiano, profundamente dividido, se reunia para uma terceira sessão visando à formação de um novo governo para combater a insurgência, três meses após o país ter realizado uma eleição parlamentar.

O primeiro-ministro xitta, Nuri al-Maliki, cujo grupo Estado de Lei é o maior bloco individual no Parlamento, está buscando um terceiro mandato, mas enfrenta dura oposição de sunitas e curdos, que dizem que ele tem comandado a maioria xiita às custas de comunidades minoritárias. Até mesmo partidos rivais xiitas querem sua saída do poder.

O presidente em exercício no Parlamento, Mehdi al-Hafidh, pediu que os deputados fizessem seus votos por um novo presidente da Casa, o primeiro de três postos de liderança que precisam ser decididos. O político moderado sunita Salim Jabouri é o principal concorrente ao cargo.

Os outros postos a serem decididos são a Presidência do país, seguindo pelo primeiro-ministro, mas ainda não estava imediatamente claro se a votação planejada para o novo presidente do Parlamento era parte de um acordo mais amplo para superar o prolongado impasse.

O embate político tem ganhado maior urgência por conta da insurgência islâmica que varreu províncias sunitas no norte do Iraque no mês passado, encorajando oponentes de Maliki a tentar forçar sua saída Do poder.

(Reportagem adicional de Maggie Fick em Bagdá)

Reuters