Navigation

Grupo rebelde islâmico mata 270 pessoas, informa grupo observador

Este conteúdo foi publicado em 19. julho 2014 - 15:09

BEIRUTE (Reuters) - O grupo rebelde Estado Islâmico matou 270 soldados, guardas e trabalhadores quando capturam um campo de gás sírio na quinta-feira no mais sangrento combate entre um segmento da Al Qaeda e as forças do presidente Bashar al-Assad, disse neste sábado um grupo de observadores.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos contrário a Assad informou na quinta-feira que 90 pessoas morreram e muitas estão desaparecidas após o ataque ao campo de gás Sha'ar, a leste de Homs, no centro da Síria.

Mas neste sábado, o Observatório, que monitora a violência na Síria através de uma rede de fontes no país em ambos os lados, disse, citando "fontes confiáveis", que o Estado Islâmico tinha "matado e executado" 270 pessoas durante o assalto. Disse que pelo menos 40 combatentes foram mortos no ataque.

O Estado Islâmico tem alcançado vitórias rápidas na Síria, principalmente tomando o controle do território a grupos rebeldes rivais, usando armamento do Iraque, onde no mês passado conseguiu aproveitar grandes áreas para as forças do governo.

Não foi imediatamente possível verificar a informação. As mídias sírias estatais não mencionaram o ataque.

(Reportagem de Oliver Holmes)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.