Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Reuters) - Hackers chineses invadiram em março as redes de computadores da agência governamental dos Estados Unidos que cuida das informações pessoais de todos os funcionários federais norte-americanos, noticiou o New York Times, citando autoridades de alto escalão dos EUA.

Os hackers parecem ter se voltado para os arquivos de dezenas de milhares de funcionários que se candidataram a passar por checagens de segurança ultrassecretas, segundo o jornal.

Perguntado sobre a reportagem em uma negociação anual de alto nível entre EUA e China nesta quinta-feira, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse que o "alegado incidente" não parece ter impactado dados sensíveis.

"O que ouvimos é que isso está relacionado a uma tentativa de invasão. Isso ainda está sendo investigado pelas autoridades dos EUA", disse ele. "Até este momento não parece ter comprometido nenhum material sensível."

Os hackers conseguiram acessar alguns bancos de dados do órgão que administra a informação dos funcionários do governo antes que as autoridades federais identificassem a ameaça e bloqueassem a rede, disse o jornal.

Não ficou claro quanto os hackers conseguiram penetrar nos sistemas do órgão, no qual constam as informações dos funcionários que se candidataram a checagens de segurança, tais como contratos em outros países, empregos anteriores e dados pessoais, como uso de drogas, por exemplo.

As negociações bilaterais entre Pequim e Washington nesta semana, chamadas Diálogo Estratégico e Econômico, têm como foco a segurança cibernética, assim como disputas marítimas, questões monetárias e um tratado sobre investimentos.

(Reportagem de Supriya Kurane em Bangalore)

Reuters