Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Israel bombardeou dezenas de alvos na Faixa de Gaza nesta terça-feira, após uma onda de ataques palestinos com foguetes contra cidades do país, intensificando assim uma ofensiva contra o Hamas. 08/07/2014 REUTERS/Ibraheem Abu Mustafa

(reuters_tickers)

Por Nidal al-Mughrabi e Maayan Lubell

GAZA/JERUSALÉM (Reuters) - Israel bombardeou dezenas de alvos na Faixa de Gaza nesta terça-feira, após uma onda de ataques palestinos com foguetes contra cidades do país, intensificando assim uma ofensiva contra o Hamas que pode prosseguir por um longo período, segundo advertiu o governo israelense.

Após a pior onda de violência ao longo da fronteira de Gaza desde uma guerra de oito dias em 2012, o Exército de Israel disse ser possível uma invasão terrestre do enclave, embora não iminente, e exortou os cidadãos israelenses que vivem dentro de um raio de 40 quilômetros do território costeiro a ficarem perto de abrigos antiaéreos.

"Estamos nos preparando para uma batalha contra o Hamas, que não vai acabar dentro de alguns dias", disse o ministro da Defesa, Moshe Yaalon, em um comunicado. "Nós não vamos tolerar mísseis sendo disparados contra cidades israelenses e estamos preparados para estender as operações com todos os meios à nossa disposição, a fim de continuar atingindo o Hamas."

De acordo com uma fonte do gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, ele disse teria dito que o Exército de Israel "tem de estar pronto para percorrer todo o caminho. Todas as opções estão sobre a mesa, incluindo uma invasão terrestre".

A tensão na fronteira do país com a Faixa de Gaza aumentou no mês passado após a prisão de centenas de ativistas do Hamas na Cisjordânia, território sob ocupação de Israel, depois que três jovens israelenses desapareceram em 12 de junho.

Mais de 200 foguetes foram lançados contra Israel a partir da Faixa de Gaza, disseram os militares, desde que Israel iniciou uma operação de busca dos adolescentes, encontrados mortos na semana passada.

Israel acusou os militantes do Hamas pelas mortes. Em um suposto ataque de vingança, um adolescente palestino foi sequestrado em Jerusalém Oriental na quarta-feira. Seu corpo carbonizado foi encontrado em uma floresta e seis suspeitos israelenses foram presos.

Reuters