Navigation

Jornalista do grupo de Murdoch é absolvida em caso de grampos telefônicos

Este conteúdo foi publicado em 24. junho 2014 - 14:16

(Reuters) - Rebekah Brooks, ex-chefe da divisão britânica de jornais de Rupert Murdoch, foi absolvida nesta terça-feira da acusação de ter orquestrado uma campanha para grampear telefones e subornar autoridades na busca de notícias exclusivas.

Após um julgamento de sete meses, um júri de Londres inocentou Brooks por unanimidade, mas declarou culpado Andy Coulson, ex-chefe de imprensa do primeiro-ministro David Cameron e ex-editor de um dos muitos jornais britânicos de Murdoch, acusados de ser parte de uma conspiração para grampear telefones.

Ao ouvir o veredicto, Brooks mostrou pouca emoção imediata, mas foi auxiliada por uma enfermeira ao ser levada para for a do tribunal e, depois, ao passar no meio de um grupo de fotógrafos para pegar um táxi. Ela foi acompanhada do marido Charlie, que também foi absolvido de tentativa de obstrução de investigação.

Murdoch era dono do News of the World, um tabloide de 168 anos fechado pelo magnata de mídia em julho de 2011 em meio a uma indignação popular sobre revelações de que jornalistas grampearam os correios de voz do telefone celular de uma jovem assassinada.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.