Navigation

Kalashnikov lamenta danos a suas vendas de armas aos EUA após sanções

Este conteúdo foi publicado em 29. julho 2014 - 15:16

MOSCOU (Reuters) - A fabricante russa das armas Kalashnikov expressou pesar nesta terça-feira pelo fato de os consumidores dos Estados Unidos não poderem mais comprar suas famosas armas por causa das sanções dos Estados Unidos contra a Rússia em decorrência da crise na Ucrânia.

As sanções dos EUA afetaram algumas das empresas mais famosas da Rússia. E eles podem acabar com um acordo assinado pela Kalashnikov no começo deste ano para entregar de 80 mil a 200 mil armas por ano nos próximos cinco anos para os Estados Unidos.

“A Kalashnikov lamenta que consumidores enfrentem tais problemas”, disse a porta-voz Yekaterina Boni. “A atual situação mostra mais uma vez que nossas armas são muito populares entre os americanos e a implementação de sanções vai contra seu próprio interesse.”

O conflito na Ucrânia deixou as relações entre Rússia e o Ocidente no pior estágio desde o fim da Guerra Fria.

Washington aplicou rodadas de sanções contra cidadãos e companhias russas, e a União Europeia deve seguir o exemplo após um avião da Malásia ter sido abatido sobre território controlado por separatistas apoiados pela Rússia, no leste da Ucrânia.

(Por Thomas Grove)

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?