Navigation

Khamenei chama guerra no Iraque de confronto entre humanidade e barbárie

Este conteúdo foi publicado em 28. junho 2014 - 18:51

DUBAI (Reuters) - O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, chamou o conflito no Iraque de "confronto entre a humanidade e a selvageria" e criticou a mídia ocidental por retratá-lo como uma guerra entre muçulmanos xiitas e sunitas.

Potências estrangeiras frequentemente exploraram as divisões étnicas e religiosas em Estados muçulmanos e "sonham com uma guerra entre xiitas e sunitas" que não irá acontecer, disse ele em Teerã, de acordo com um comunicado oficial.

Ele alertou contra o que chamou de propaganda ocidental sobre "um elenco de idiotas e sobras de Saddam Hussein", em aparente referência ao radical grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) e a tribos sunitas que outrora ficaram do lado do ditador deposto e agora lutam com o EIIL.

"O incidente no Iraque não é uma guerra entre xiitas e sunitas", disse Khamenei em uma reunião com as famílias das vítimas de um bombardeio em Teerã em 1981.

"É uma batalha entre opositores e apoiadores do terrorismo, é uma guerra entre os fãs da América e do Ocidente e aqueles que favorecem a independência de sua nação", disse ele sobre a violência no Iraque. "É um confronto entre a humanidade e a selvageria."

Militantes do EIIL tomaram uma grande parte do território do norte e oeste do Iraque em busca de derrubar o governo do primeiro-ministro Nuri al-Maliki, um xiita, e instituir um clássico califado islâmico.

(Por Mehrdad Balali)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.