Navigation

Material nuclear tomado por rebeldes no Iraque é de "baixo grau", diz AIEA

Este conteúdo foi publicado em 10. julho 2014 - 12:07

Por Fredrik Dahl

VIENA (Reuters) - A agência de energia atômica da ONU disse nesta quinta-feira acreditar que o material nuclear do Iraque tomado por insurgentes é de "grau baixo" e não representa um risco significativo para a segurança.

O Iraque informou a ONU em uma carta datada de 8 de julho que os materiais nucleares foram tirados de uma universidade no norte do país. A entidade fez um apelo por ajuda para "afastar o risco de que seja usado por terroristas no Iraque ou no exterior".

O grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), com origem na rede Al Qaeda, se apoderou de ampla extensão territorial na Síria e no Iraque. Pouco depois, em 29 de junho, mudou seu nome para Estado Islâmico e anunciou que seu líder é agora um califa --título dado aos sucessores do profeta Maomé.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) "está ciente da notificação do Iraque e em contato para obter mais detalhes", disse uma porta-voz, Gill Tudor.

"Com base na informação inicial acreditamos que o material envolvido é de baixo grau e não representa um risco significativo para a segurança ou proliferação nuclear", afirmou ela.

As autoridades norte-americanas não acreditam que o material fosse urânio enriquecido e, portanto, seria difícil seu uso na fabricação de uma arma nuclear, disse uma fonte do governo dos EUA.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.