Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente da Bolívia, Evo Morales, fala durante cerimônia de comemoração do 27o aniversário de fundação da FELCN, força de combate aos narcóticos, em La Paz. REUTERS/David Mercado

(reuters_tickers)

LA PAZ (Reuters) - O presidente boliviano, Evo Morales, venceria as eleições gerais de outubro com uma diferença de votos que evitaria um segundo turno, abrindo caminho para o seu terceiro mandato, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira.

Morales, que pretende aprofundar suas reformas socialistas, obteria 41 por cento dos votos, com uma vantagem de 32 pontos do seu rival mais próximo, mostrou a pesquisa da Ipsos encomendada pela televisão local ATB.

Para ser reeleito nas eleições de 12 de outubro, Morales precisa obter mais de 50 por cento dos votos válidos ou um mínimo de 40 por cento e uma diferença de 10 pontos percentuais sobre seu rival mais próximo. Um eventual segundo turno está marcado para 7 de dezembro.

O candidato opositor com a maior preferência de votos é Samuel Doria Medina, um empresário do setor de cimentos da centro-direita que aparece na pesquisa com 9 por cento das intenções de voto.

Morales, um ex-líder cocaleiro de 54 anos que se tornou em 2006 o primeiro presidente indígena na história boliviana, apoiado por vários setores do campo, é popular pelos seus projetos sociais e as reformas políticas aplicadas para dar mais poder à relegada maioria indígena.

A pesquisa foi realizada entre 2 e 18 de julho com 3 mil pessoas. A margem de erro é de 1,79 ponto percentual.

(Reportagem de Daniel Ramos)

Reuters