Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Eleanor Biles e Silvia Ognibene

GIGLIO Itália (Reuters) - O maciço casco do Costa Concordia está quase pronto para ser rebocado para longe da ilha italiana onde atingiu uma rocha e naufragou dois anos e meio atrás, matando 32 pessoas, disseram representantes neste domingo.

A proa enferrujada do transatlântico de luxo outrora branco reluzente deve emergir plenamente da água pela primeira vez neste domingo, e o navio deve estar pronto para ser rebocado na segunda-feira, mas a partida foi adiada em um dia devido a previsões de mar agitado.

O navio de 114.500 toneladas foi elevado lentamente do oceano desde segunda-feira, quando equipes começaram a bombear ar em 30 grandes caixas de metal, ou estabilizadores, ligadas ao casco.

O ar forçou a água a sair dos estabilizadores, levantando o navio de cruzeiro em 7,5 metros para fora da plataforma submarina, explicou Franco Porcellacchia, o engenheiro encarregado do resgate. Ainda faltam 6,3 metros, adicionou.

Um comboio de 14 navios, liderados pelo rebocador Blizzard, vão então, irá rebocar o Concordia a um porto perto de Gênova, onde será cindido para a sucata, completando uma das maiores operações de salvamento marítimo da história.

O capitão do navio, Francesco Schettino, está sendo julgado pelas acusações de homicídio culposo, causando um naufrágio por ter navegado muito perto da costa para "saudar" o porto, e por abandonar o navio. Ele contesta as acusações.

Reuters