Navigation

Nigéria investiga possível novo sequestro em massa, diz fonte

Este conteúdo foi publicado em 24. junho 2014 - 15:15

Por Felix Onuah

ABUJA (Reuters) - As forças de segurança nigerianas estão investigando um possível sequestro em massa de moradores no Estado de Borno, no nordeste, onde militantes islâmicos do grupo Boko Haram sequestraram mais de 200 estudantes há dois meses, disse uma fonte do setor de segurança nesta terça-feira.

Autoridades militares estão investigando relatos de que os supostos militantes islâmicos atacaram três aldeias no fim de semana a 100 quilômetros da capital do Estado, Maiduguri, acrescentou a fonte.

A imprensa nigeriana informou nesta terça que mais de 91 moradores tinham sido sequestrados, a maioria mulheres e meninas. A Reuters não conseguiu confirmar os números.

Se confirmado, o mais recente sequestro vai intensificar a frustração popular com a incapacidade das autoridades de conter a campanha de cinco anos do Boko Haram, que quer criar um Estado islâmico no norte, região de maioria muçulmana.

O movimento, que já matou milhares de pessoas em frequentes atentados com bombas, inicialmente focava em alvo do governo e das forças de segurança, igrejas e líderes muçulmanos que rejeitavam a sua versão do islamismo.

Recentemente, o Boko Haram passou a atacar cada vez mais alvos civis e provocou clamor internacional ao sequestrar mais de 200 meninas de uma escola na aldeia remota de Borno Chibok, em abril.

(Reportagem de David Dolan)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.