Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente dos EUA, Barack Obama, conversa com os presidentes de El Salvador (Sanchez Ceren), Guatemala (Otto Perez Molina) e Honduras (Juan Orlando Hernandez) na Casa Branca. REUTERS/Larry Downing

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - O presidente norte-americano, Barack Obama, disse aos líderes centro-americanos nesta sexta-feira que seu governo tem compaixão pelo afluxo de crianças que atravessam a fronteira com os Estados Unidos, mas que aqueles sem permissões válidas para permanecer no país serão enviados para casa.

Em uma reunião na Casa Branca com os líderes de Guatemala, El Salvador e Honduras, Obama disse que pode haver alguns casos em que os imigrantes desses países poderiam se inscrever para se enquadrar na situação de refugiados, mas que esses casos seriam poucos.

Obama afirmou que os EUA dividem a responsabilidade com os países para resolver o problema, incluindo o papel do tráfico de drogas.

O presidente norte-americano também disse que espera que os parlamentares aprovem um pedido de fundos de emergência para enfrentar a crise de fronteira antes de deixar Washington para um período de recesso.

(Reportagem de Jeff Mason)

Reuters