Navigation

Papa pede desculpas por "culto sacrílego" do abuso sexual por parte de clérigos

Este conteúdo foi publicado em 07. julho 2014 - 15:18

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco disse às vítimas que sofreram abuso sexual por parte de clérigos católicos que a igreja deveria "chorar" pelos crimes e "reparar as injustiças" que, segundo ele, assumiram a dimensão de um culto sacrílego.

"Há algum tempo eu sinto em meu coração profunda dor e sofrimento", disse ele em seus comentários mais incisivos sobre os crimes, feitos em uma missa com vítimas adultas. "Tanto tempo escondido, camuflado com uma cumplicidade que não pode ser explicada, até que alguém percebeu que Jesus estava olhando."

O papa Francisco fez a homilia para seis vítimas de abuso: duas da Irlanda, duas da Grã-Bretanha e duas da Alemanha, antes de conhecer cada uma individualmente em uma reunião que durou quase quatro horas, permanecendo cerca de 30 minutos com cada um.

"Eu peço a graça de chorar, a graça de a Igreja chorar e fazer a reparação pelos seus filhos e filhas que traíram a sua missão, que abusaram de pessoas inocentes", disse ele, de acordo com uma transcrição do Vaticano.

"Diante de Deus e de seu povo eu expresso a minha tristeza pelos pecados e crimes graves de abuso sexual que padres cometeram contra vocês. E eu humildemente peço perdão", disse.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.