Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

RIAD (Reuters) - Três projéteis de morteiro caíram na Arábia Saudita na segunda-feira perto de sua fronteira norte com o Iraque, onde militantes islamitas se apoderaram de território durante sua rápida ofensiva, disseram autoridades.

As bombas não causaram vítimas, mas vão aumentar os receios das autoridades sauditas quanto à segurança do país, que também enfrenta militantes em sua fronteira sul, com o Iêmen, onde pelo menos dez pessoas morreram em incursão da al Qaeda na sexta-feira e no sábado.

As autoridades da Arábia Saudita, maior produtor mundial de petróleo, disseram que ainda estão examinando a origem dos projéteis da segunda-feira, os quais caíram perto de um bloco de apartamentos nas imediações da cidade de Arar, norte do país.

Na semana passada o rei saudita, Abdullah, disse que o país estava intensificando a segurança em razão do avanço no Iraque dos militantes do grupo Estado Islâmico, que declarou um califado em terras mais ao norte de sua fronteira.

As autoridades sauditas temem que as conquistas feitas no Iraque pelo Estado Islâmico --grupo que tem origem na al Qaeda e antes se denominava Estado Islâmico do Iraque e do Levante-- possam radicalizar seus cidadãos.

Destituir a família real saudita é um dos principais objetivos da al Qaeda, que pretende derrubar a fronteira e estabelecer um califado na cidade de Meca, sagrada para os muçulmanos e localizada no oeste da Arábia Saudita.

(Reportagem de Angus McDowall)

Reuters