Navigation

Sudão volta a prender cristã um dia após livrá-la da pena de morte

Este conteúdo foi publicado em 24. junho 2014 - 20:49

CARTUM (Reuters) - Autoridades sudanesas voltaram a deter uma mulher cristã nesta terça-feira horas depois de livrá-la da pena de morte por abandonar o Islã para se converter ao Cristianismo.

Não ficou claro por que Mariam Yahya Ibrahim foi detida enquanto tentava embarcar em um voo no aeroporto de Cartum, mas seu advogado disse que ela deve ser solta na quarta-feira.

Uma autoridade de segurança que confirmou a prisão afirmou saber a razão do ocorrido. Dois diplomatas disseram que Ibrahim, seu marido e duas crianças estavam tentando ir para os Estados Unidos via Cairo ou Juba. Os quatro foram detidos.

Ibrahim, de 27 anos, foi solta na segunda-feira por um tribunal de apelação, que cancelou sua pena de morte depois que o governo passou a sofrer o que chamou de pressão inédita.

Após a sua libertação, ela foi enviada a uma localidade secreta para sua proteção, já que a família relatou ter recebido ameaças.

A embaixada dos EUA em Cartum afirmou em um breve comunicado que estava ciente da nova detenção de Ibrahim, que estava em contato com a família dela e monitorando a situação de perto.

(Reportagem de Maaz Alnugomi)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.