Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

PEQUIM (Reuters) - Um supertufão atingiu a China nesta sexta-feira, matando uma pessoa, e o governo ordenou um esforço de esvaziamento de lugares de risco para evitar mortes em uma tempestade que causou a morte de pelo menos 64 pessoas nas Filipinas.

O tufão Rammasun, com ventos de até 180 quilômetros por hora, chegou à cidade de Wenchang, na província de Hainan, sul da China, na tarde desta sexta-feira (horário local), de acordo com informações no site do Centro Nacional de Meteorologia.

O tufão, que tem possibilidade de ser o mais forte a atingir Hainan em mais de 40 anos, trará chuva pesada no fim de semana antes de se dirigir ao sudoeste e enfraquecer na segunda-feira, disse a agência de notícias estatal chinesa Xinhua.

Ainda durante a tarde, a tempestade havia chegado à província de Guangdong, no território continental da China. Ela deveria passar, também, pela região de Guangxi ainda nesta sexta-feira.

Segundo a Xinhua, as ondas podem alcançar até 13 metros de altura nas partes do norte do Mar do Sul da China, e os moradores locais estão sendo alertados para ficarem afastado das áreas costeiras.

O governo de Hainan disse ter ordenado que pescadores voltassem ao porto, ao passo que os aeroportos, estações de trens e portos foram fechados.

Tufões são comuns nessa época do ano no Mar do Sul da China, ganhando força das águas quentes e se dissipando ao chegar à terra.

(Por Ben Blanchard, Hui Li e Michael Martina)

Reuters