Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Saliou Samb

CONACRI (Reuters) - Pelo menos 34 pessoas, incluindo várias crianças, foram mortas em um tumulto durante um show de rap em comemoração ao fim do Ramadã em Conacri, capital da Guiné, disseram fontes médicas nesta quarta-feira.

Centenas de pessoas foram ao hospital Donka, na capital, para visitar os feridos e identificar os mortos. Um jornalistas da Reuters viu os corpos de três crianças entre os mortos.

Testemunhas afirmaram que cerca de dez crianças morreram no tumulto, na noite de terça-feira.

"No momento, há 34 corpos no necrotério. A lista de feridos continua crescendo", disse à Reuters uma fonte médica que não quis se identificar. "O mais velho não chega a ter mais de 20 anos. Há jovens garotas entre eles", disse ele.

A Presidência declarou uma semana de luto. O diretor da agência estatal para o lazer foi demitido do cargo após o incidente, informou o gabinete presidencial.

Testemunhas disseram que mais de 10 mil pessoas, a maioria crianças e jovens, assistiam à apresentação de dois populares grupos de rap locais, os 'Banlieuzart e os 'Instinct Killers'.

Em janeiro, seis jovens morreram em uma outra praia de Conacri quando uma ponte desabou durante as celebrações de ano novo.

O tumulto em meio às comemorações do fim do mês sagrado do Ramadã na Guiné, país de maioria muçulmana, ocorreu no momento em que profissionais de saúde enfrentam um surto do vírus ebola, que foi primeiro identificado no país em fevereiro e desde então se espalhou para a Libéria e Serra Leoa, matando mais de 670 pessoas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

(Reportagem de Saliou Samb)

Reuters