Navigation

A Suíça relaxou as medidas de isolamento muito cedo, adverte alto funcionário

O distanciamento social na Suíça foi reduzido de 2 metros para 1,5 metro desde a segunda-feira, 22 de junho. © Keystone / Christian Beutler

O chefe da força de intervenção suíça contra a Covid-19 advertiu que a suspensão das restrições de confinamento na última sexta-feira foi prematura.

Este conteúdo foi publicado em 22. junho 2020 - 08:45
swissinfo.ch/fh

"Não estamos prontos para a mais recente flexibilização", disse ao jornal NZZ am Sonntag Matthias Egger, que lidera a força-tarefa científica criada pelo governo suíço para coordenar conselhos e pesquisas sobre o vírus.

"Ainda nos falta, como antes, um sistema de monitoramento funcional para toda a Suíça". Também não está claro o quanto é bom o sistema de rastreamento de contatos".

Em 19 de junho, o governo suíço anunciou que estava suspendendo a maior parte das restrições remanescentes introduzidas para combater a propagação do coronavírus a partir de 22 de junho. A "distância social" recomendada foi reduzida de dois para 1 metro e meio, com efeito imediato.

A partir de segunda-feira, são permitidos eventos de até 1000 pessoas, desde que seja possível garantir o rastreamento dos contatos. Somente as aglomerações de mais de 1000 pessoas continuam proibidas até o final de agosto. Também foram suspensas as restrições sobre o horário de abertura de bares e restaurantes. As pessoas não são mais obrigadas a ficarem sentadas no interior desses estabelecimentos.

A partir de hoje, são permitidas reuniões e manifestações civis e políticas , mas as pessoas são obrigadas a usar máscaras. O governo também está terminando sua recomendação de que as pessoas trabalhem de casa sempre que possível. Caberá aos empregadores decidir e colocar em prática as medidas de segurança necessárias. 

Egger continua cauteloso, alertando que, do ponto de vista científico, há um alto risco de que a facilidade possa colocar em risco o país alpino se o vírus se espalhar novamente. O número de novas infecções caiu do pico de 1.000 casos por dia, em meados de março, para 10 a 35 nas últimas semanas. Os hospitais demonstraram sua capacidade de lidar com o vírus. 

O chefe da força-tarefa disse que a luta contra a epidemia tinha ido bem até agora. Mas ele advertiu que o número de novas infecções parece ter aumentado nas últimas duas semanas e que é provável que a taxa de reprodução seja de 1 ou mais.

A taxa de reprodução, ou valor 'R', estima quantas pessoas uma pessoa infectada passa o vírus. Especialistas dizem que esse número precisa ficar abaixo de um para que a propagação permaneça baixa.

Egger disse que há um risco de que o número de casos possa aumentar acentuadamente no futuro. A força-tarefa Covid-19 considera prematuro levantar novas restrições, acrescentou.

Ele disse que o recente aumento de novos casos e da taxa de contágio foi provavelmente devido à flexibilização anunciada em 11 de maio. Os efeitos de novas medidas de abrandamento em 28 de maio, 6 de junho e 15 de junho ainda não estão claros, acrescentou.

O funcionário ressaltou a importância de medidas de rastreamento e quarentena nos cantões, assim como uma extensa coleta de dados. Os testes também devem ser realizados rapidamente e em grande escala em situações de alto risco. Se houver suspeita de um surto, toda as pessoas de relacionamento do indivíduo devem ser testadas, e não apenas os contatos próximos.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.