Navigation

Combate aos vícios exige "nova abordagem"

As autoridades suíças devem realizar mais pesquisas para entender melhor os riscos de adição de novos produtos, como os cigarros eletrônicos e a maconha CBD, e impor um novo quadro jurídico, diz a organização não-governamental Addiction Suisse.

Este conteúdo foi publicado em 14. fevereiro 2018 - 10:30
swissinfo.ch
Embora a gama de produtos relacionados ao fumo tenha crescido nos últimos anos, o seu impacto na saúde pública ainda é pouco conhecido ostancoff/123RF

No último relatório "Panorama Suíço de Vícios 2018" publicado na terça-feira (13), a ONG pediu uma "nova abordagem" para lidar com a crescente oferta de substâncias psicoativas e a demanda pública de novos produtos, que estão "agitando o campo dos vícios".

"Vários consumidores querem experimentar novos produtos com menor risco, enquanto os fabricantes e as empresas estão buscando ganhar o máximo possível com a rejeição de regulamentação do Estado", afirmou a ONG.

+ Governo proíbe pesquisa sobre maconha regulamentada

A porta-voz da Addiction SuisseLink externo, Corine Kibora, disse para swissinfo.ch que é necessário investir mais recursos na pesquisa para entender os riscos de novas substâncias disponíveis no mercado potencialmente capazes de gerar alguma dependência.

"Os únicos dados que temos nos produtos de tabaco que não queimam, por exemplo, provêm da própria indústria. Portanto, devemos questionar sua credibilidade. Em segundo lugar, um quadro legal deve ser implementado para lidar com novos produtos. Infelizmente, a nova lei sobre o assunto enviada para consulta em dezembro passado foi diluída, particularmente no que se refere às restrições publicitárias e de marketing", declarou Kibora.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.