Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Quase 500 projetos para integrar imigrantes

Batendo bola e aprendendo alemão: um participante do curso "Kicken Sie Deutsch", em Basileia (www.deutschimpuls.ch).

Os suíços festejam a conquista do primeiro título mundial no futebol por sua multiétnica seleção sub-17, com 13 jogadores binacionais. Mas não só o esporte é um fator de integração no país.

Os governos federal e estaduais fomentam centenas de projetos para facilitar a integração dos imigrantes na sociedade suíça, como mostra o programa trienal 2008-2011.

"Kicken Sie Deutsch" – é o nome de um treinamento linguístico e futebolístico oferecido a imigrantes na cidade de Basileia. Ele parte do princípio de que, aliado a exercícios esportivos, o aprendizado de alemão se torna mais efetivo.

Adeptos do futebol com mais de 16 anos e poucos conhecimentos do idioma aprendem brincando o vocabulário, a forma correta de se expressar, regras gramaticais e futebolísticas, bem como técnicas básicas de bate-bola.

O curso, que acontece todas as segundas-feiras no ginásio de esportes da escola Margarethen, em Basileia, custa 50 francos por semestre e é considerado um exemplo bem-sucedido entre os cerca de 500 projetos de integração fomentados pelo governo suíço em 2008.

Três prioridades



"A combinação de treino de futebol com aprendizado do idioma e a prevenção à violência, em cooperação com instituições de ensino, clubes regionais de futebol e a Secretaria Federal de Esportes dá certo", lê-se num relatório do governo publicado no final de outubro passado.

O programa de fomento federal à integração 2008-2011 estabelece três prioridades: cursos de língua e atividades na área educacional; centros de competência regionais que coordenam todas as atividades do setor, bem como contratação de tradutores interculturais (uma nova profissão na Suíça); e, por último, o desenvolvimento e a propagação de projetos modelos na área de integração dos estrangeiros.

Em 2009, Berna está investindo um total de 16 milhões de francos nessas atividades (outro tanto é aportado pelos governos estaduais), sem contar os 31 milhões de francos do governo federal referentes à ajuda emergencial a asilados ou refugiados.

Aprendizado de um idioma



Segundo o relatório, só na área de "idioma e educação" foram realizados 365 pequenos projetos no ano passado. O maior número deles por cantão foi em Zurique (69), Berna (37) e Vaud (30).

Quase a metade desses projetos foi implementada por organizações não governamentais (37%) e entidades dos próprios imigrantes (12,7%).

Um levantamento preliminar mostra que entre 80 e 90% dos recursos estaduais disponibilizados para a integração dos estrangeiros são aplicados no incentivo ao aprendizado de um dos quatro idiomas nacionais (alemão, italiano, francês e reto romano).

Vinte e um dos 26 cantões (estados) planejam também outras atividades, especialmente a transmissão de conhecimentos úteis para o cotidiano dos imigrantes.

Melhor prevenir do que remediar



Em toda a Suíça há a uma espécie de trabalho preventivo de integração: fomento a crianças das classes sociais menos privilegiadas, bem como o aconselhamento dos pais por assim chamados mediadores culturais.

Os postos de mediação intercultural prestaram 94.964 horas de serviço em 2008. Os cerca de 500 tradutores habilitados na Suíça para esse trabalho foram muito solicitados para ajudar imigrantes nos contatos com órgãos de saúde (60,6%) e de assistência social (23,8%).

Todas as atividades de fomento à integração estão sendo avaliadas paralelamente à sua realização por dois institutos de pesquisa. Os primeiros resultados conclusivos estão previstos para 2010.

O significado econômico desse trabalho foi recentemente explicado assim por Nadja Witzemann, responsável desde 1974 pela integração na cidade de Winterthur: os gastos com atividades preventivas de integração evitam custos adicionais sete vezes maiores nas diferentes áreas sociais.

Geraldo Hoffmann, swissinfo.ch

Estrangeiros na Suíça

Segundo a Secretaria Federal de Migração, no final de agosto passado, 1.666.935 estrangeiros viviam na Suíça – 48. 088 (3%) a mais do que no mesmo mês do ano passado.

Os imigrantes representam 21,7% da população suíça. Mais da metade (63,2%) vem dos 27 países da União Europeia e da Associação Europeia de Livre Comércio (Islândia, Liechtenstein e Noruega).

Os principais países de origem dos estrangeiros são:
Itália: 289. 650 (17,4%)
Alemanha: 245.249 (14,7%)
Portugal: 203.082 (12,2%)
Sérvia: 164.167 (9,8%)
França: 88.442 (5,3%)
Turquia: 71.369 (4,3%)
Espanha: 64.062 (3,8%)
Macedônia: 60.058 (3,6%)
Bósnia-Herzegovina: 36.571 (2,2%)
Áustria: 36.210 (2,2%)
Outros: 408.075 (24,5%)

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×