Navigation

Suíça ainda não expulsou diplomatas

Segurança diante da embaixada dos EUA, em Berna. Keystone

O governo suíço ainda não decidiu se vai expulsar do país os diplomatas iraquianos, como pedem os Estados Unidos.

Este conteúdo foi publicado em 19. março 2003 - 15:31

A administração Bush alega que eles constituem uma ameaça para os cidadãos americanos residentes na Suíça.

Os Estados Unidos solicitaram a cerca de 60 países a expulsão dos diplomatas iraquianos em posto nesses países. A administração Bush considera que a presença desses diplomatas é uma ameaça para os cidadãos e as instituições americanas residentes nesses países.

O pedido à Suíça foi feito sexta-feira, através da embaixada dos Estados Unidos em Berna. Três diplomatas iraquianos são credenciados pelo governo suíço e trabalham na embaixada do Iraque em Berna.

Quarta-feira, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores (DFAE) afirmou que o pedido da administração estadunidense "continua em estudo".

10 suíços no Iraque

Por outro lado, os dois diplomatas suíços que trabalhavam em Bagdá, deixaram a capital iraquiana e ficarão à disposição da embaixada suíça em Amman, na Jordânia, até segunda ordem.

Restam ainda 10 cidadãos suíços no Iraque: dois são funcionários da Cruz Vermelha Internacional, seis têm dupla nacionalidade e são estabelecidos no Iraque, um padre de 80 anos que vive há muitos anos no país e um suíço que serve como escudo humano.

Segurança reforçada

Na Suíça, o esquema de segurança das embaixadas e representações diplomáticas estrangeiras está sendo reforçado há dias com tropas de polícia e do exército.
As autoridades competentes não revelam o número de soldados mobilizados mas disseram apenas que os efetivos não chegaram a dobrar.

A medida é justificada pelo fato de muita gente estar irritada com a iminência da guerra, aumentando o risco de atos de violência contra embaixadas estrangeiras.

swissinfo com agências

Breves

- EUA pediram expulsão de diplomatas iraquianos em 60 países

- Suíça ainda estuda medida

- Diplomatas suíços sairam do Iraque para a Jordânia

- 10 suíços permanecem no Iraque

- Segurança foi reforçada nas embaixadas estrangeiras na Suíça

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?