Navigation

Skiplink navigation

Suíça quer convencer população a se vacinar

Apenas 16% dos suíços se vacinariam logo contra o coronavírus, de acordo com uma pesquisa recente Keystone

Diante de um considerável ceticismo público em relação a uma vacina contra a Covid-19, o Ministério da Saúde está preparando uma campanha de informação sobre as vacinas. Entretanto, o principal higienista hospitalar do país acha que oferecer incentivos é uma melhor maneira de fazer com que as pessoas se vacinem.

Este conteúdo foi publicado em 16. novembro 2020 - 07:30
swissinfo.ch/fh

Apenas 16% dos suíços se vacinariam logo contra o coronavírus, de acordo com uma pesquisa realizada pela Sociedade Suíça de Radiodifusão e Televisão em 6 de novembro. "De jeito nenhum", disseram 28% dos 40.000 entrevistados. No meio estão muitas pessoas que não têm certeza ou que preferem esperar e ver se algum efeito colateral aparece.

Diante desses níveis de incerteza, o governo está preparando uma campanha para convencer a população a se vacinar, informou o jornal SonntagsZeitung.

"Queremos fornecer à população informações transparentes e aumentar a conscientização sobre uma vacinação contra o novo coronavírus", disse ao jornal a porta-voz do Ministério da Saúde, Katrin Holenstein.

Entretanto, como ainda não foram divulgados detalhes sobre as características e a eficácia da vacina, ainda é muito cedo para a campanha, disse.

Incentivos e obrigações

Andreas Widmer, presidente da Swissnoso, a associação de especialistas em doenças infecciosas e higiene hospitalar, não acha que as campanhas de informação sejam suficientes. Ele sugere a introdução de incentivos para aumentar a vontade de se vacinar.

"Somente pessoas que foram vacinadas ou têm um teste atual negativo antes de cada viagem devem ser autorizadas a viajar para o exterior de avião, ônibus ou cruzeiro", disse Widmer ao SonntagsZeitung. "A vacinação é uma expressão de solidariedade com a sociedade, e para isso você precisa de um pequeno sacrifício individual".

A Lei sobre Epidemias de fato permite ao governo, em consulta com os cantões, impor uma obrigação de vacinar grupos vulneráveis da população, bem como pessoas que realizam certas atividades, como pessoal hospitalar ou de assistência.

Embora o Ministro da Saúde Alain Berset tenha descartado na semana passada uma vacinação obrigatória em todo o país, ela não está fora de questão para certos grupos, como o pessoal de enfermagem nos lares de idosos. Entretanto, como ainda não está claro qual vacina será usada e se ela levará à imunização de pessoas idosas, o Ministério da Saúde diz que a introdução de uma vacinação compulsória para o pessoal de enfermagem ainda não é um problema.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo