Navigation

Suíça vai lançar cigarro sem fumaça e sem tabaco

Um produz fumação, outro não. Keystone

As autoridades suíças preparam o lançamento do primeiro cigarro sem tabaco nem fumaça.

Este conteúdo foi publicado em 21. julho 2005 - 13:35

A empresa suíça NicStic espera conquistar os fumantes que perdem terreno frente aos combatentes do tabagismo.

A novidade mundial foi inventada por um pesquisador alemão que vendeu o brevê para a empresa suíça NicStic, instalada no cantão de Zoug, na Suíça de língua alemã.

Concretamente, o cigarro tem um tubo de plástico que esquenta e dá a sensação de calor provocada pela inalação. Para ter o gosto ou o prazer de fumar, bastar colocar na extremidade um filtro contendo a nicotina, disponível em vários sabores.

Uma empresa confiante

Quando cada vez mais países limitam o ato de fumar em lugares públicos devido os perigos do fumo passivo, a NicStic aposta na aceitação de seu produto. O cálculo é que os dependentes da nicotina poderão satisfazer o vício sem incomodar os outros.

O novo produto não suscita entusiasmo no ISPA (Instituto Suíço de Prevenção do Alcoolismo e Outras Toxicomanias. "O que causa dependência no cigarro é a nicotina e ela permanece", explica a swissinfo a porta-vou do ISPA, Janine Messarli.

No entanto, ela reconhece as vantagens em matéria de fumo passivo. Mas, "como os emplastos de nicotina, o produto é um simples substituto para os fumantes", acrescenta.

Esse cigarro sem fumaça deverá ser lançado no mercado suíço na primavera de 2006, de acordo com a empresa. O preço será inferior ao do cigarro tradicional.

Como o Instituto Suíço de Produtos Terapêuticos Swissmedic declarou que o produto não é um medicamento de substituição, a fabricação poderá começar dentro de alguns meses, segundo Joachim Will, porta-voz de NicsTic

O cigarro portanto não poderá ser vendido com fins terapêuticos nem como argumento para parar de fumar, confirma Swissmedic. Por isso, não será necessária uma autorização especial para comercializá-lo.

A conclusão de swissmedic

«Swissmedic procurou saber se o produto era ou não terapêutico e chegou a conclusão que não", confirmou a swissinfo a porta-voz da instituição de controle.

O novo cigarro não poderá, por exemplo, ser vendido sob prescrição médica. Se fosse o caso, o fabricante teria de responder às exigências das seguradoras de saúde para ser reembolsado, como exige a Secretaria Federal de Saúde Pública (OFSP).

swissinfo com agências

Fatos

Na Suíça, os fumantes de 15 a 74 anos totalizam 1,75 milhão de pessoas, ou seja, 33% da população total.
Um milhão de habitantes são ex-fumantes.
A maioria dos fumantes são homens, os aprendizes fumam mais que os estudantes.
Mais de 4 mil substâncias tóxicas estão contidas na fumaça do tabaco.
Os custos diretos ligados ao abuso de tabaco são estimados em mais de um bilhão de francos por ano.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?