Navigation

Turismo sofre em 2002

Cartaz da campanha "Pequena viagem, férias longas" exibida durante o "Sexto Dia de Férias na Suíça", em Zurique. Keystone

No ano passado, hotéis na Suíça tiveram uma queda de 4,9% nos pernoites, em relação a 2001.

Este conteúdo foi publicado em 07. maio 2003 - 14:23

Governo vê, na redução dos preços e custos e a melhora da oferta, a solução para aumentar a atratividade do turismo no país.

Montanhas cobertas de neve, vales verdejantes e cidades medievais. Na Suíça, os turistas não precisam se esforçar muito para conseguir um belo motivo de foto.

Porém muito menos deles vieram em 2002: de acordo com as associações hoteleiras, o ano passado ficou marcado por uma redução de 4,9% nos números de pernoite em relação a 2001. Ao todo, os hotéis e pensões suíços tiveram 65,9 milhões de hóspedes.

Reunidos de 5 a 6 de maio no “Sexto Dia de Férias na Suíça”, um dos eventos mais importantes na área do turismo no país, mais de mil especialistas e profissionais do setor tentaram encontrar respostas para explicar a queda do número de viajantes e também soluções para os problemas do setor.

Para o diretor da Agência Suíça de Turismo, Jürg Schmid, existem várias razões para a redução do número de turistas: o atentado de 11 de setembro, a guerra no Iraque, a forte valorização do franco suíço em relação ao dólar, a estagnação econômica mundial e também problemas recentes como a crise vivida pela companhia aérea suíça Swiss e a Sars - epidemia de Síndrome Respiratória Aguda Severa - que tem esvaziado os aviões vindos da Ásia, continente mais atingido pela doença.

"Turismo suíço tem de reduzir custos"

O ministro da Economia, Joseph Deiss estava presente no evento. No seu discurso intitulado "Quanto inovativa é a Suíça", ele ressaltou que o maior problema do turismo na Suíça é não apenas a valorização do franco suíço, mas também a enorme diferença entre os preços suíços e os da concorrência. Ele lembrou que na última década, o número de pernoites nos hotéis suíços reduziu-se em 15 por cento. Para Deiss, a única solução para o turismo suíço "é reduzir seus custos e melhorar a oferta dos produtos em relação aos seus preços.

Em 2002, o grupo mais importante de turistas na Suíça foi dos próprios suíços, com uma participação de 55% (1,1% a menos do que em 2001). Dos turistas estrangeiros, destacaram-se os alemães, com 18,3% (11,6% a menos do que em 2001). A maior redução porcentual ocorreu entre os japoneses (-16,7%) e americanos (-14,9%).

Para esse ano as expectativas não são melhores

Para 2003 as expectativas não têm sido boas. Empresários do setor turístico acreditam que problemas como a pneumonia asiática irão provocar quedas consideráveis nos seus negócios.

"Atualmente, estão vindo 80% menos turistas dessa região para a Suíça", afirma Jürg Schmid, diretor da Agência Suíça de Turismo.

Para incentivar o turismo na Suíça, a agência lançou durante o evento em Zurique sua mais nova campanha turística voltada para o público suíço e alemão, intitulada "Curta viagem, longas férias". Outro projeto, chamado "Enjoy Switzerland" será iniciado no verão e pretende ressaltar o bom acolhimento ao turista em quatro estações suíças de inverno.

swissinfo e agências.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?