Navigation

Coronavirus não dá trégua no Chile e mortes aumentam 29% em 24 horas

Policial observa manifestantes que protestam contra o conflinamiento em Santiago, em 20 de maio de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. maio 2020 - 19:28
(AFP)

O Chile se aproxima de 60 mil novos casos do novo coronavírus, enquanto o número de mortes aumentou 29% nas últimas 24 horas, elevando o total para 589, informou nesta quinta-feira o ministro da Saúde, ao comparar a crise sanitária a uma "batalha descomunal".

As cifras de hoje marcam oito recordes diários do avanço da pandemia no país, de quase 18 milhões de habitantes. O número de mortos passou de 35 ontem para 45 hoje, e houve 3.964 novas infecções, de um total de 57.581 desde o primeiro caso, em 3 de março.

"É evidente que o número de casos está aumentando, o que significa que, nos próximos dias, isso irá pressionar a rede assistencial", advertiu o ministro da Saúde, Jaime Mañalich.

O ministro também pediu que, neste momento, sejam superadas as diferenças políticas e polarizações, reconhecendo que o Chile atravessa um momento de profunda desconfiança envolvendo o governo de Sebastián Piñera.

Esta semana, foram registradas manifestações violentas em áreas carentes de Santiago, onde a quarentena e paralisação de um grande número de atividades desde 16 de março provocam desemprego e fome. Nas últimas horas, surgiram nas redes sociais convocações para panelaços contra o governo.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.