Navigation

Espanha adia decisão sobre 2ª dose da AstraZeneca para menores de 60 anos

(ARQUIVOS) Seringa e frasco da vacina AstraZeneca retratados no Hospital San Giovanni Bosco em Torino, em 19 de março de 2021 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. abril 2021 - 16:59
(AFP)

A Espanha decidiu, nesta sexta-feira (30), atrasar em quatro semanas a segunda injeção da vacina contra a covid-19 para aqueles com menos de 60 anos que receberam a primeira dose da AstraZeneca, enquanto se aguarda mais informações sobre como proceder.

Muitos espanhóis viram seu processo de imunização paralisado desde que as autoridades de saúde decidiram suspender o uso do medicamento da AstraZeneca para menores de 60 anos devido aos raros, mas graves, casos de trombose detectados em alguns países.

Quando estava prestes a expirar o prazo de doze semanas para que os primeiros vacinados recebessem a segunda dose, as autoridades sanitárias espanholas decidiram estender esse prazo por mais quatro semanas, a fim de ter "mais informações para poder tomar uma decisão que garante a segurança da vacinação".

“A Espanha, (...) seguindo o princípio da precaução, opta por aguardar mais informações sobre os estudos em curso e a experiência de outros países”, afirmou o Ministério da Saúde em um comunicado.

Entre esses estudos está um ensaio lançado em meados de abril pelo próprio ministério para verificar a segurança e eficácia da combinação de uma primeira dose de AstraZeneca com uma segunda dose da Pfizer.

Os primeiros resultados deste estudo estão programados para meados de maio, o que permitiria às autoridades de saúde tomar uma decisão sobre o que fazer com os menores de 60 anos já vacinados com uma dose antes que expire o novo intervalo de 16 semanas.

Até o momento, apenas 261 pessoas receberam a imunização completa da vacina AstraZeneca na Espanha, enquanto outros 3,7 milhões receberam apenas a primeira dose desse medicamento, agora reservado para pessoas entre 60 e 69 anos de idade.

Em seu comunicado, o Ministério da Saúde destaca que “a proteção chega a cerca de 80% de eficácia com a primeira dose”.

A Espanha, cujo governo quer ter 70% de sua população imunizada antes do final de agosto, atualmente tem pouco mais de 9,3% de seus 47 milhões de habitantes totalmente vacinados contra a covid-19.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?