Navigation

EUA fala com Maduro há meses, mas não vê disposição para eleições'

Secretário de Estado dos EUA Mike Pompeo (e) e o presidente da Costa Rica Carlos Alvarado (d) em San Jose, em 21 de janeiro de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. janeiro 2020 - 18:54
(AFP)

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse nesta terça-feira na Costa Rica que seu governo teve inúmeras conversas com o presidente venezuelano Nicolás Maduro e não viu disposição de sua parte para realizar eleições livres.

"Houve várias conversas com Nicolás Maduro nos últimos meses. Mas não houve demonstração de que ele esteja preparado para permitir eleições livres e abertas", afirmou.

Pompeo respondeu às declarações de Maduro publicadas no The Washington Post, nas quais defendia "respeito e diálogo" para resolver suas diferenças com os Estados Unidos.

Falando com o presidente da Costa Rica, Carlos Alvarado, Pompeo insistiu que "não vimos nenhuma evidência de que Maduro esteja remotamente interessado em realizar eleições livres e justas. Ele sabe que perderia".

A situação na Venezuela e na Nicarágua ocupou grande parte das negociações entre Alvarado e Pompeo, que chegaram à Costa Rica na segunda etapa de sua turnê pela América Latina e pelo Caribe.

"As pessoas não querem que Maduro seja um tirano, ele destruiu sua economia, criou uma das maiores crises humanitárias da história da América Central e do Sul", disse o secretário de Estado dos EUA.

Pompeo começou sua turnê na Colômbia e após essa escala na Costa Rica, ele deve ir à Jamaica nesta terça-feira.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.