Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Os Estados Unidos vão trabalhar com a Alemanha para resolver o caso do suposto agente duplo que foi preso no país europeu por espionar para agências americanas, mas se negaram a fazer comentários sobre estas informações.

(afp_tickers)

Os Estados Unidos vão trabalhar com a Alemanha para resolver o caso do suposto agente duplo que foi preso no país europeu por espionar para agências americanas, mas se negaram a fazer comentários sobre estas informações.

"Vamos trabalhar com a Alemanha para resolver esta situação adequadamente", declarou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, acrescentando que Washington está ciente da detenção, mas que não vai comentar assuntos relacionados aos serviços de inteligência.

Earnest também tentou evitar maiores danos às relações entre Alemanha e Estados Unidos e aos vínculos pessoais entre o presidente Barack Obama e a chanceler alemã, Angela Merkel, que ficaram tensas depois que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) foi acusada de espionar o celular da líder europeia.

"A relação que os Estados Unidos têm com a Alemanha é incrivelmente importante. É uma relação muito próxima", disse Earnest.

Em visita oficial a Pequim, Merkel declarou que, "se as informações estiverem corretas, será um caso grave".

A chanceler acrescentou que "trata-se, a meu ver, de uma evidente contradição com o que considero uma cooperação de total confiança entre agências (de inteligência) e países sócios".

O porta-voz Earnest declarou que Merkel e Obama não tinham discutido essas revelações durante uma conversa por telefone na última quinta-feira, na qual abordaram a situação na Ucrânia.

AFP