Navigation

Facebook reduz sua velocidade na Europa para evitar o congestionamento da internet

A velocidade dos vídeos do Facebook e Instagram na Europa será temporariamente reduzida para evitar um congestionamento da internet, devido ao aumento do acesso em plena epidemia de coronavírus afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 22. março 2020 - 17:20
(AFP)

A velocidade dos vídeos do Facebook e Instagram na Europa será temporariamente reduzida para evitar um congestionamento da internet, devido ao aumento do acesso em plena epidemia do novo coronavírus, anunciou neste domingo (22) a sede das redes sociais.

Netflix e Google também adotaram medidas semelhantes.

“Para ajudar a limitar um potencial congestionamento da rede, reduziremos temporariamente a velocidade binária para os vídeos do Facebook e Instagram na Europa”, declarou um porta-voz do Facebook, citado em comunicado.

Na quinta-feira, a Netflix também anunciou que havia tomado a decisão de diminuir o tráfego em todos os seus fluxos na Europa por 30 dias. Na sexta-feira, o Google fez o mesmo com sua plataforma de vídeos YouTube.

Deste modo, os gigantes americanos respondem a uma petição do comissário europeu do Mercado Interno, Thierry Breton.

Breton solicitou na quarta-feira às plataformas de transmissão e aos servidores que tomassem medidas para aliviar a pressão sobre a internet, para facilitar o trabalho à distância e a educação online durante o período de confinamento imposto nos países da Europa para lutar contra a propagação da epidemia do COVID-19.

A obrigação de estarem confinados e o trabalho em casa aumentaram o tráfego na internet, destacou o comissário.

Breton pediu às plataformas de transmissão que “cooperem com os provedores de telecomunicações para adaptar a velocidade da transmissão contínua de vídeo, propondo temporariamente a definição padrão em vez da alta definição, levando em consideração as horas de trabalho mais críticas”.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.