Navigation

México vai comprar respiradores nos EUA contra COVID-19

Funcionário de hospital checa área de contingência, isolada com estritas medidas sanitárias, para receber pacientes com COVID-19, em Toluca, México, 28 de fevereiro de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. abril 2020 - 22:38
(AFP)

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, anunciou nesta sexta-feira (17) que comprará 1.000 respiradores dos Estados Unidos, após uma conversa por telefone com o dirigente americano, Donald Trump, equipamento que será usado contra pandemia do novo coronavírus.

López Obrador detalhou que Trump conversou com ele por telefone para responder ao pedido feito na semana passada para comprar nos Estados Unidos 10.000 respiradores e 10.000 monitores, em um momento em que governos de todo o mundo disputam os equipamentos disponíveis para enfrentar a emergência sanitária.

Trump "me garantiu que no fim deste mês teremos mil e poderemos adquirir outros mais porque o nosso país não tem restrições para as compras de equipamento dos Estados Unidos", escreveu o presidente mexicano em sua conta no Twitter.

Em sua entrevista coletiva diária na Casa Branca, Trump falou sobre a venda.

"Eu disse a ele (presidente mexicano) que vamos ajudar o México com respiradores. Temos muitos respiradores nível e de alta qualidade", disse Trump sem especificar a quantidade.

López Obrador considerou a resposta do presidente americano como "um novo gesto de solidariedade com o México".

"Eu lhe propus a possibilidade de nos encontrarmos em junho ou julho para externar pessoalmente o nosso agradecimento", acrescentou López Obrador, que assumiu a Presidência em dezembro de 2018, mas até agora não se encontrou com Trump.

O encontro também servirá, acrescentou, para "dar testemunho da entrada em vigor do T-MEC", sigla do renovado acordo de livre comércio que México, Estados Unidos e Canadá negociaram por exigência de Trump e que substituirá a Alca, em vigor desde 1994.

Em 10 de abril, durante outro telefonema, os dois líderes acordaram que o México reduzirá sua produção de petróleo em 100.000 barris diários para poder cumprir com o corte da oferta mundial, decidido pelos países produtores em vista da queda dos preços.

O México tem 6.297 casos confirmados e 486 mortos por COVID-19, segundo dados oficiais divulgados na quinta-feira.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.