Navigation

Netanyahu anuncia cooperação científica com Emirados contra coronavírus

O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, usando máscara, chega para presidir a reunião semanal do gabinete em Jerusalém, em 21 de junho de 2020. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 25. junho 2020 - 16:14
(AFP)

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, anunciou nesta quinta-feira(25) que, apesar da ausência de relações oficiais, seu país vai estabelecer uma "cooperação" científica com os Emirados Árabes Unidos para combater a pandemia de COVID-19.

"Essa colaboração se dará nas áreas de pesquisa e desenvolvimento, tecnologia e outros setores para melhorar a segurança sanitária em toda a região", disse Netanyahu em nota.

"É o resultado de contatos prolongados e intensos nos últimos meses", acrescentou o primeiro-ministro israelense, sem especificar se foi a primeira cooperação oficial entre os dois países.

Historicamente, os países árabes, com exceção do Egito e da Jordânia, colocaram como condição para a normalização de suas relações com Israel que seja resolvido o conflito com os palestinos.

Mas nos últimos anos, as autoridades israelenses vêm desenvolvendo relações informais com os países do Golfo, incluindo os Emirados Árabes Unidos, pouco à vontade com a crescente influência do Irã na região.

"Quanto mais poderosos somos, mais força temos para deter nossos inimigos", disse o primeiro-ministro israelense.

"A anexação certamente acabará com as aspirações israelenses por melhores relações com o mundo árabe", escreveu um diplomata dos Emirados, Youssef al Otaiba, em artigo publicado em hebraico no jornal israelense Yediot Aharonot.

O diplomata, embaixador nos Estados Unidos, se referiu ao controverso plano de anexação de partes do Vale do Jordão pelo governo israelense, que em teste, deveria começar em 1º de julho.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.