Navigation

SpaceX lança seu primeiro foguete tripulado

A plataforma de lançamento 39A do Centro Espacial Kennedy com o foguete Falcon 9 e a cápsula Crew Dragon da empresa SpaceX, na Flórida, em 29 de maio de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. maio 2020 - 13:43
(AFP)

Os astronautas americanos Bob Behnken e Doug Hurley decolaram neste sábado do Kennedy Space Center, na Flórida, a bordo de um foguete SpaceX. Esta é a primeira vez que uma empresa privada dos Estados Unidos consegue realizar uma missão desta natureza para a Nasa.

O foguete Falcon 9, da empresa criada por Elon Musk, decolou conforme o planejado às 15H22 (horário local, 16H22 horário de Brasília), e colocou a cápsula do Crew Dragon em órbita, cerca de dez minutos depois.

Depois de realizar sua tarefa de extrair os dois astronautas da gravidade da Terra, a primeira etapa do foguete de 70 metros se separou conforme o planejado e voltou a pousar verticalmente em uma plataforma na Flórida.

A SpaceX é a única empresa no mundo que pode recuperar seus foguetes dessa maneira.

Mais tarde, a segunda etapa do Falcon 9 colocou a cápsula do Crew Dragon na órbita adequada para chegar ao seu destino, a Estação Espacial Internacional (ISS), que voa 400 km acima dos oceanos, a mais de 27.000 km/h.

Uma câmera transmitiu o interior da cápsula ao vivo, mostrando os dois homens amarrados aos seus assentos durante a subida supersônica.

"Parabéns pela primeira viagem tripulada pelo Falcon 9. Foi incrível", disse o astronauta Doug Hurley, comandante da espaçonave quando a cápsula já atingia 27.000 km/h, a cerca de 200 km de altitude.

Os dois homens chegarão à ISS no domingo às 11H29 (horário de Brasília).

O presidente Donald Trump participou pessoalmente do lançamento a alguns quilômetros de distância e fará um discurso do Centro Espacial Kennedy às 17H00 (horário local, 18H00 horário de Brasília).

"Real talento, verdadeira genialidade, ninguém faz isso como nós", disse ele.

A missão acontece em meio às restrições impostas para conter a pandemia do novo coronavírus, o que obrigou os tripulantes a permanecer em quarentena durante mais de duas semanas.

Desta vez não não haverá espectadores à distância para observar o lançamento como é habitual.

A Nasa pediu ao público que permaneça afastado de Cocoa Beach, o tradicional ponto de observação, mas a solicitação não foi suficiente para os fãs da exploração espacial, que se reuniram no local na quarta-feira passada durante a primeira tentativa.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.