Sutiã suíço inteligente pode ajudar a prevenir câncer de mama

Estudantes suíços se associaram a uma startup local para desenvolver um "sutiã inteligente" para a prevenção do câncer.

Este conteúdo foi publicado em 06. abril 2020 - 08:15
Os alunos da EPFL desenvolveram o sutiã "SmartBra" com uma startup de Neuchâtel © 2020 EPFL

"A nossa tecnologia de roupas inteligentes foi concebida para detectar o câncer nas fases iniciais. Ela utiliza um método não invasivo e indolor, baseado na monitorização frequente por ultrassons", diz Hugo Vuillet, um dos alunos da equipe de desenvolvimento da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL).

Segundo a EPFL, os estudantes apresentaram o conceito do sistema no ano passado, em colaboração com a IcosaMed, uma startup de Neuchâtel fundada em março de 2019.  O sistema revelou-se tão eficaz que a empresa decidiu dar continuidade à parceria.

Ao contrário da tecnologia existente para o diagnóstico do câncer, que utiliza radiação, a tecnologia da IcosaMed emite ondas de ultrassom para realizar ecografias de células potencialmente cancerosas. As ondas de ultrassom são geradas utilizando sensores piezoelétricos, que são dispositivos que funcionam com a energia gerada quando é aplicada pressão sobre um material piezoelétrico. "Esta tecnologia é o que nos permite miniaturizar o sistema de diagnóstico do SmartBra para que o sutiã ainda seja confortável de usar e quase imperceptível", diz Vuillet. Se o sistema detectar uma massa suspeita de células, ele vai alertar a usuária para que ela possa marcar uma consulta com um especialista.

"O nosso sistema pode fazer mais do que detectar o câncer - esperamos que um dia também possa agir preventivamente e emitir ondas de ultrassons quase contínuas e de baixa dose de forma controlada, de modo a estimular a apoptose na massa cancerígena", diz o fundador e CEO da IcosaMed, Max Boysset. A apoptose refere-se ao processo de autodestruição das células.

Lançamento no mercado previsto para 2021

A EPFL diz que o "SmartBra" será inicialmente vendido para mulheres que já foram diagnosticadas com câncer, para que possam monitorizar o seu estado diariamente. Depois para mulheres com predisposição genética para o desenvolvimento do câncer e, eventualmente, a todas as mulheres.

"Neste momento, estamos no processo de angariação de fundos. Precisamos de um total de 4 milhões de francos (4,1 milhões de dólares): 1,5 milhão para finalizar o protótipo funcional que estamos construindo com o fabricante de alta tecnologia Turck Duotech, e 2,5 milhões para o lançamento inicial no mercado, atualmente previsto para 2021", diz Boysset.

A EPFL diz que, se tudo correr como planejado, "o SmartBra poderá abrir caminho a outros produtos de elevado potencial utilizando têxteis inteligentes - como roupa íntima e bodysuits - para detectar e prevenir outros tipos de cânceres".


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo