Navigation

Suíça já ultrapassou seu limite de recursos de 2021

Se todos os habitantes do mundo vivessem como os suíços, seriam necessários 2,8 planetas, revela o estudo. Keystone

Em 11 de maio, os habitantes da Suíça já haviam consumido sua "cota" anual teórica de recursos naturais renováveis.

Este conteúdo foi publicado em 11. maio 2021 - 07:30
swissinfo.ch/fh

O dado foi revelado pela Global Footprint Network, um grupo de reflexão ecológica, sediado nos EUA, que calcula as datas em que as populações nacionais consumiram mais recursos do que a natureza pode regenerar em um único ano.

O primeiro país neste ano a ultrapassar a marca foi o Qatar, em 9 de fevereiro; espera-se que São Tomé e Príncipe atinja seu limite em 27 de dezembro. Ao atingir seu limite em 11 de maio, a Suíça vem uma semana após a Alemanha, França, Itália, Japão e Nova Zelândia alcançarem seu dia de ultrapassagem.

No ano passado, o dia da Suíça caiu um pouco mais cedo, em 8 de maio. A Global Footprint Network disse que ainda era muito difícil dizer se ou quanto a pandemia da Covid-19, e as restrições relacionadas, desempenhou um papel nos resultados deste ano.

De acordo com a metodologia do estudo, "a Pegada Ecológica é derivada do rastreamento da área biologicamente produtiva necessária para suprir todas as demandas das pessoas". As importações e exportações de um país também são levadas em conta no cálculo final.

O grupo não disse quando a média global do dia de ultrapassagem está programada para cair em 2021. No ano passado, foi em 22 de agosto. A data vem retrocedendo constantemente: em 1970 caiu em dezembro, mas em 2000 havia regredido para setembro.

Em 13 de junho, os eleitores suíços terão uma palavra a dizer sobre uma nova lei de CO2 ratificada pelo parlamento no ano passado, que prevê várias novas regras sobre sustentabilidade, incluindo impostos sobre combustível, impostos sobre passagens aéreas e normas mais rigorosas para edifícios.

A lei, que é um componente-chave da estratégia climática de longo prazo do país, foi levada a um referendo por um comitê interpartidário representando os setores econômicos, incluindo a indústria do petróleo, transporte e aviação, e construção civil.

Quase todos os partidos políticos, assim como outros segmentos da economia, são favoráveis à lei de CO2, enquanto as pesquisas iniciais indicaram - até agora - um amplo apoio público.

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?