Suíça vai testar tecnologias de trem "supersônico"

Uma zona industrial no cantão do Valais foi escolhida como o primeiro lugar na Europa a testar um sistema de transporte "hyperloop", de altíssima velocidade. Uma pista de testes deve ser construída em Collombey-Muraz no próximo ano.

Este conteúdo foi publicado em 14. dezembro 2018 - 12:45
A seção de 3 km em Collombey-Muraz, no cantão do Valais, testará as tecnologias de transporte terrestre a vácuo de alta velocidade e de levitação magnética Eurotube

"O EuroTube está firmando uma parceria com a CFF para construir uma instalação de pesquisa de três quilômetros e uma seção de testes para o transporte a vácuo de alta velocidade no Valais", disseram o EuroTube e a Companhia Ferroviária Federal da Suíça (CFF) em um comunicado na quinta-feira (13).

Os sistemas experimentais de transporte supersônico hyperloop envolvem o envio de cápsulas magnéticas de passageiros através de um tubo a vácuo na velocidade do som. A CFF disse que o hyperloop é projetado para viajar a uma velocidade de até 1100 km/h, mas "a seção de pesquisa e teste Collombey-Muraz será projetada para velocidades de até 900 km/h".

+ sobre os trens supersônicos na Suíça

Collombey-Muraz foi escolhido porque oferece um "terreno bem plano e com poucos obstáculos".

A CFF espera que a pista de teste forneça "informações importantes sobre a construção e operação deste modo de transporte potencialmente de alta capacidade".

Na Europa, atualmente não há seções de teste de hyperloop, enquanto algumas existem em outras partes do mundo. Nos EUA, Elon Musk, fundador da SpaceX e co-fundador da firma de automóveis Tesla, lançou em 2015 uma competição anual Hyperloop Pod na Califórnia, com o objetivo de revolucionar os sistemas de transporte. Neste verão, uma equipe da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL) conquistou o terceiro lugar na competição com o pod “EPFLoop”.

Um projeto semelhante à tecnologia hyperloop - um trem de levitação magnética conhecido como Swissmetro, que viajaria através de túneis abaixo da Suíça - foi discutido décadas atrás, mas acabou sendo abandonado:


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo