Cientistas suíços desenvolvem detector rápido de coronavírus

Poster destaca os países na lista suíça de quarentena de 5 de agosto, no aeroporto de Zurique Keystone / Ennio Leanza


Este conteúdo foi publicado em 07. agosto 2020 - 15:57
Keystone-SDA/EPFL/SNSF/ilj

Um projeto para desenvolver um pequeno dispositivo portátil para detectar o coronavírus em aeroportos, estações ferroviárias e espaços públicos onde o rastreamento rápido poderia contribuir para a detecção precoce da doença, recebeu uma subvenção da Fundação Nacional de Ciência da Suíça.

"Há uma necessidade urgente de um conjunto de medidas para controlar a propagação do vírus, reduzir a gravidade da doença em pacientes infectados e, finalmente, prevenir a infecção com vacinas eficazes", disse Sandrine Gerber, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia de Lausanne (EPFL), que está liderando a pesquisa.

"Com um biosensor de baixo custo e altamente sensível, estamos propondo uma abordagem para superar as limitações dos atuais procedimentos de testes, o que deve eliminar a necessidade de pessoal biomédico e infra-estrutura especializada de laboratório", disse ela em uma declaração da EPFL na sexta-feira. 

Também participa do projeto Igor Stefanini da Universidade de Ciências Aplicadas e Artes do Sul da Suíça (SUPSI) e Francesco Bertoni da Università della Svizzera italiana (USI).

O projeto do detector é um dos dois da EPFL a ser premiado com uma verba. O outro envolve o perfil sorológico em larga escala do Covid-19 usando nano-ensaios imunológicos de alto rendimento com microfluidos, diz a declaração.

Ao todo, 28 novos projetos de pesquisa de coronavírus foram financiados pelo Programa Nacional de Pesquisa SNSF Covid-19 lançado em 30 de abril para "avançar nosso entendimento sobre o coronavírus e a Covid-19". 

O total de doações foi de CHF18,6 milhões ($20,3 milhões), disse o SNSF no início desta semana.


Partilhar este artigo