Navigation

Governo suíço espera rápida recuperação econômica em 2021

O governo suíço começou a levantar cautelosamente várias restrições relativas à Covid impostas em meados de janeiro para reduzir os níveis de infecção. Lojas, museus e instalações esportivas reabriram a partir de 1º de março, mas os bares e restaurantes continuam fechados. Keystone / Jean-christophe Bott

Após um início fraco no ano, a economia da Suíça deve se recuperar rapidamente de uma forte queda causada pelo coronavírus para crescer 3% em 2021, disse o governo na quinta-feira.

Este conteúdo foi publicado em 12. março 2021 - 12:30
swissinfo.ch/fh

O produto interno bruto cairá "significativamente" no primeiro trimestre deste ano, após as restrições da Covid-19 de dezembro passado, disse a Secretaria de Estado para Assuntos Econômicos (Seco) em um comunicadoLink externo.

Mas a situação econômica deve melhorar rapidamente se a situação pandêmica na Suíça evoluir positivamente.

"Se o desenvolvimento epidemiológico permitir a flexibilização gradual das medidas contra o coronavírus, como pretendido, a economia nacional deverá se recuperar muito rapidamente", disse a Seco.

"Várias oportunidades de consumo, que em grande parte não estavam disponíveis nos meses de inverno, reapareceriam e levariam a um novo aumento do volume de negócios nos setores afetados. Ao mesmo tempo, a crescente demanda mundial deverá impulsionar as exportações".

Prevê-se que o desemprego caia gradualmente e atinja uma média anual de 3,3% em 2021.

A economia da Suíça encolheu 2,9% no ano passado como resultado da Covid-19, a pior contração anual desde a crise do petróleo, em 1975. Mas os números oficiais mostraram que a segunda onda no outono teve um efeito menos prejudicial, com a economia crescendo 7,6% no terceiro trimestre antes de desacelerar para +0,3% nos últimos três meses do ano.

Aliviar restrições

O governo começou a levantar cautelosamente várias restrições relativas à Covid impostas em meados de janeiro para reduzir os níveis de infecção. Lojas, museus e instalações esportivas reabriram a partir de 1º de março, mas os bares e restaurantes continuam fechados. Outras medidas são esperadas em 22 de março, se o curso da pandemia permitir.

Mas o governo tem algumas decisões difíceis pela frente. Depois de abrandar, antes de estagnar por duas semanas, o número de novas infecções diárias começou a aumentar novamente, disse Virginie Masserey, do Ministério da Saúde, em 9 de março. "A situação permanece incerta", enfatizou. 

Se a economia suíça se recuperar em 2021 - de acordo com a previsão de dezembro da Seco - ela voltará aos níveis pré-crise no final do ano. Para 2022, a Seco espera que a economia cresça 3,3%, acima de sua previsão de dezembro, para um aumento de 3,1%.

Mas a secretaria adverte sobre os riscos potenciais à frente.

"A recuperação pode atrasar visivelmente se nos próximos meses forem introduzidas mais medidas rigorosas de contenção a nível interno e pelos principais parceiros comerciais, por exemplo, devido aos atrasos nos programas de vacinação contra o coronavírus", disse.

E a pandemia pode continuar afetando o desenvolvimento econômico até 2022 através da propagação de mutações do coronavírus contra as quais as vacinas existentes são menos eficazes, acrescentou.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.