Navigation

Encerrado capítulo da Rádio Suíça

Fim de uma época importante: antena da Rádio Suíça Internacional em Sottens. emetteurs.ch

Rádio Suíça Internacional encerra emissão de programas em onda curta. Serviço de informações passa a ser realizado completamente através da plataforma multimídia swissinfo.

Este conteúdo foi publicado em 18. outubro 2004 - 10:44

Festa de despedida comemora início do desmonte da antena de emissão em ondas curtas em Sottens. Um pequeno resumo dos 70 anos de história da RSI.

“Durante 70 anos, os programas de rádio em ondas curtas tiveram um papel fundamental para tornar conhecida a realidade e o papel da Suíça no exterior”, ressalta Nicolas Lombard, diretor da swissinfo, a nova denominação da antiga Rádio Suíça Internacional (RSI) desde sua transformação em plataforma multimídia de informações.

“Por décadas, a RSI foi o cordão umbilical dos suíços do exterior. Normalmente eles não dispunham de outra forma de se informar sobre seu país de origem”, completa Giovanni Conti, diretor da Swisscom Broadcast, empresa responsável pela técnica do serviço de ondas curtas.

Tecnologia e migração

A RSI nasceu na década de 30 do século passado. Essa era uma época pioneira do rádio, quando se iniciaram também as emissões em ondas curtas.

A tecnologia permitiu a criação de um instrumento que possibilitava alcançar, no mínimo espaço de tempo, os rincões mais distantes do planeta. Muitos consideram esse momento como o início da “globalização” na mídia.

A Suíça foi um dos primeiros países a utilizar esse meio. O objetivo era responder às necessidades de informação dos mais de 200 mil suíços que viviam no exterior.

Essa comunidade terminou crescendo de forma considerável nos anos seguintes. A pobreza em que viviam várias populações nas regiões montanhosas, obrigaram muitos suíços a abandonarem suas terras para procurar trabalho em outros países na Europa ou América.

Cercado pelo fascismo

Uma questão histórica explica também o nascimento da Rádio Suíça Internacional: na década de 30, vários países vizinhos adotaram ditaduras fascistas. As emissões de rádio realizadas deveriam ter um papel de válvula para a consciência patriótica suíça e também disseminar os princípios democráticos do país no exterior.

A partir de 1935, a Rádio Suíça AG começou a transmitir seus programas através de uma antena de emissão de ondas curtas de 20 quilowatts, que já havia sido instalada três anos antes numa pequena localizada chamada Prangins. Em 27 de abril de 1938, o Parlamento suíço aprovou a construção do primeiro centro de ondas curtas em Schwarzenburg, no cantão de Berna.

Durante a Segunda Guerra Mundial, que foi desencadeada em 1939, a Rádio Suíça Internacional passou a ter um papel muito importante. Nessa época trágica, os jornalistas René Payot e Jean-Rodolphe von Salis foram responsáveis pela realização e emissão dos únicos programas de informação livres realizados no continente europeu.

Muito mais do que em outras épocas, a Suíça estava isolada de outros países que partilhavam dos mesmos ideais e compreensão política. “Somente nossas emissões em ondas curtas ainda mostram que existe uma ilha de democracia no meio da Europa”, afirmou na época da Segunda Guerra Mundial o antigo diretor da SRI, Paul Borsinger.

Época de ouro

A fase do pós-guerra, sobretudo durante a Guerra Fria, foi uma época de ouro para a Rádio Suíça Internacional. Os programas eram emitidos em oito idiomas. Por ano chegavam mais de 130 mil cartas de ouvintes no mundo inteiro.

“Nessa época de propaganda política, a neutralidade da Suíça foi, seguramente, um aspecto muito vantajoso para a SRI”, analisa Nicolas Lombard, que desde 1965 trabalha na empresa.

Pesquisas de opinião realizadas pela Agência Gallup nos Estados Unidos e do Clube de Ondas Curtas na Grã-Bretanha mostravam que, nos anos 60 e 70, a RSI era uma das estações de rádio internacional mais escutadas e respeitadas do mundo, logo após as do EUA, Grã-Bretanha, França e Alemanha.

A Suíça não teve um passado de potência colonial. Esse fator representava para a RSI uma grande vantagem em vários países africanos, asiáticos e latino-americanos, onde as rádios internacionais eram praticamente a única fonte de informação neutra.

Durante a Guerra Fria, os dois blocos não apenas se armaram de bombas atômicas, mas também investiram em campanhas políticas realizadas através das antenas, freqüências e potência dos seus transmissores.

Para competir, a RSI construiu em 1972 uma antena com uma potência de 500 quilowatts, para emitir os programas internacionais.

Fim da RSI ou apenas transição?

No final dos anos 80 começou o fim das ondas curtas para os serviços de rádio.

Com a queda do Muro de Berlim em 1989, acaba a época de tensão entre os países do leste e oeste. O desenrolar da história provoca, ao mesmo tempo, o desinteresse pela situação geopolítica no mundo. Em quase todos os países, as mídias concentram seus esforços no noticiário local. Os programas internacionais de informação passam a viver uma crise de identidade.

A boa qualidade de recepção dos programas de rádio FM, assim como a tecnologia de satélites capaz de enviar imagens de televisão para os quatro cantos do mundo, reforça a crise de serviços como a Rádio Suíça Internacional.

O programa de economia do governo federal suíço dá o golpe final no caro serviço jornalístico em ondas curtas. Chega-se ao final de uma época. Giovanni Conti prefere, porém, falar de uma fase de transição tecnológica.

“Uma tecnologia ultrapassada como o das ondas curtas é abandonada e, no seu lugar, passamos a adotar algo de novo, a tecnologia digital. Nós precisamos unir as qualidades do passado com o que surge de inovador”, ressalta o chefe da Swisscom Broadcast.

Essa opinião é apoiada pelo chefe da swissinfo Nicolas Lombard: - “A Internet não pode substituir a oferta do serviço de ondas curtas, porém abre possibilidades grandiosas de comunicação multimídia, dos quais nunca havíamos imaginado”.

swissinfo, Armando Mombelli
traduzido por Alexander Thoele

Breves

Devido a mudanças tecnológicas, a RSI decide no final dos anos 90 a encerrar seus programas jornalísticos em onda curta. O último programa em inglês foi emitido em 12 de abril de 2004.

Em 30 de outubro de 2004, o serviço em ondas curtas será fechado. A RSI concentra seus esforços na plataforma de informação em nove idiomas www.swissinfo.ch

End of insertion

Fatos

1939: criação do primeiro centro de ondas curtas em Schwarzenburg (cantão de Berna).
1972: Antena de ondas curtas em Sotten começa a funcionar.
1978: Serviço de Ondas Curtas Suíça é rebatizado de “Rádio Suíça Internacional” (RSI).
2004: Antena de ondas curtas em Sottens sai de funcionamento.

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?