Navigation

Governo aumenta vídeo-vigilância em centros de asilo

As gravações de vídeo destinam-se não só a ter um efeito preventivo, mas também a fornecer provas de abusos e infrações. Keystone / Martin Schutt

A vigilância por vídeo será expandida nos centros federais de asilo nos próximos meses, com mais câmeras sendo instaladas nas áreas externas e internas dos edifícios. No entanto, nem todos concordam que isso irá melhorar a segurança.

Este conteúdo foi publicado em 17. maio 2021 - 12:00
SRF/ts

A Secretaria de Estado de Migração (SEM) espera que as câmeras adicionais proporcionem mais segurança, disse Reto Kormann, chefe adjunto de comunicações da SEM, em uma reportagem da rádio pública suíça SRF, na segunda-feira.

"Por um lado, queremos mais segurança nas áreas externas, para que ninguém entre sem permissão. Por outro lado, isso também afeta as áreas internas. Em uma acomodação coletiva pode haver tensões, por isso também teremos imagens disponíveis diretamente de lá", disse ele.

No ano passado, a SEM registrou mais incidentes violentos nos 14 centros de asilo federais permanentes do país do que em 2019. O número de agressões aumentou de cerca de 370 para cerca de 490. Os incidentes nos quais o pessoal de segurança supostamente usou violência contra os requerentes de asilo também foram um tema de discussão recente.

‘Não faz sentido’

A organização de auxílio aos refugiados Swiss Refugee Aid se mostra céptica em relação à posição da SEM, equiparando mais segurança com mais vigilância. "Não achamos que um maior aperto do rígido sistema de controle nos centros de asilo federais faça sentido", disse a porta-voz Eliane Engeler à SRF.

Engeler acredita que seria melhor fornecer mais apoio social aos requerentes de asilo, embora ela reconheça que as câmeras de vigilância poderiam ter benefícios na área de entrada, por exemplo.

As câmeras não serão instaladas em todos os lugares, disse Kormann. "Os quartos privados, os quartos dos requerentes de asilo, chuveiros, banheiros, bem como os escritórios do pessoal da SEM e prestadores de serviços por nós comissionados não serão monitorados. Em princípio, a vigilância por vídeo é possível em todas as outras salas", disse ele.

As gravações de vídeo têm o objetivo não apenas de exercer um efeito preventivo, mas também de fornecer provas.

As mudanças na Lei dos Estrangeiros, que entrou em vigor em 1º de abril de 2020, permitem ao governo armazenar as gravações de vídeo e áudio por quatro meses. No futuro, no entanto, somente a polícia e promotores públicos poderão avaliar as imagens.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.