Navigation

Os arquivos de imprensa são um tesouro

Ringier, maior grupo de imprensa da Suíça, entregou sua fototeca analógica ao cantão de Argóvia: 7 milhões de fotos dos anos 1930 a 1990. O fotojornalista Siegfried Kuhn conhece o segredo de algumas dessas proezas.

Este conteúdo foi publicado em 05. março 2014 - 11:00
swissinfo.ch

O grupo Ringier foi formado em 1959 quando comprou a agência fotográfica Arnold Theodor Pfister (ATP) e, sobretudo lançando o “Blick”, primeiro jornal popular do país e grande consumidor de imagens. Desde os anos 1990, a fotografia digital destronou a foto analógica.

Em 2009, Ringier doou ao cantão de Argóvia o mais importante arquivo de imprensa do país: 7 milhões de tiragens. Segundo sua diretora Nora Mathys, o inventário necessitará “várias gerações”. No outono de 2013, o Parlamento cantonal aprovou um novo crédito de 1,8 milhões de francos para os próximos três anos. É prazo para divulgar esse tesouro ao público e, principalmente, encontrar parcerias financeiras.

swissinfo.ch foi aos “Arquivos Ringier” em Aarau, mas sobretudo visitou Siegfried Kuhn. Nascido em 1931 no cantão de Berna, esse fotojornalista trabalhou desde 1959 e durante mais de 30 anos para o serviço fotos do grupo de imprensa. Ela conta aqui três exemplos de uma longa carreira.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.