Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Os sons das feiras Quando a praça do parlamento se transforma em feira

A grande praça em frente ao parlamento em Berna se transforma duas vezes por semana em uma feira. Lá você pode encontrar de tudo: chucrute de Gurbetal, queijo Vacherin de Friburgo, pão de fornos a lenha e presunto local. Às vezes, um membro do governo dá uma escapadinha lá para comprar uma maçã.

A Bundesplatz, na capital federal suíça, é um importante ponto de encontro na cidade velha de Berna, classificada como patrimônio mundial da UNESCO. É o local de comemorações, como quando o clube de futebol bernense BSC Young Boys se tornou campeão suíço, manifestações políticas e recepções do Estado com uma guarda de honra.

Há mais de 130 anos, uma grande feiraLink externo semanal acontece aqui todas as terças e sábados de manhã, atraindo centenas de visitantes, dependendo do clima e da estação do ano.

Além dos moradores locais, os clientes regulares também incluem muitos parlamentares. De tempos em tempos, até um conselheiro federal vem pessoalmente comprar uma maçã para o intervalo. E, claro, o cenário atrai turistas de todo o mundo.

"Olá, como posso ajudá-lo?"

Na era das compras pela internet, os clientes apreciam o contato pessoal com os produtores, e frequentemente ficam conversando sobre Deus e o mundo. No verão, há 41 produtores vendendo seus produtos - da grande banca de verduras com quatro vendedoras, ao italiano que vende suas iguarias mediterrâneas em um suporte simples sob um guarda-sol ou uma lona plástica.

Um dos vendedores é o agricultor Walter Stettler, que administra uma fazenda com sua esposa e filho, a nove quilômetros da cidade. Eles cultivam frutas e criam vacas, ovelhas e cavalos.

A família vive exclusivamente de vendas diretas em feiras semanais e em sua fazendinha. Em um sábado ensolarado, eles conseguem vender até 700 kg de maçãs na Bundesplatz. Além do tempo, o dia de pagamento é um fator decisivo para determinar se um dia de feira é bom ou ruim. "Se os clientes já têm seu pagamento no banco, eles compram muito mais e pagam com grandes notas em vez de pequenos trocados", conta Stettler.

O Projeto ‘The Sounds of...’

swissinfo.ch e suas parceiras colaboram para trazer a nossos leitores paisagens sonoras e imagens de locais similares em cada país: Radio Canada InternationalLink externoPolskie RadioLink externo (Polônia), Radio PrahaLink externo (Rep. Tcheca) e Radio Romania InternationalLink externo (Romênia).

Aqui termina o infobox

Hala Mirowska é um dos maiores mercados de Varsóvia. Foi construído no início do século XX. O edifício foi bombardeado durante a Revolta de Varsóvia em 1944. Reconstruído nos anos 50, foi restaurado à sua função original como mercado e é agora um local onde diferentes gerações se encontram. É também um local popular para os turistas, que vêm aqui para procurar produtos poloneses tradicionais e regionais, como chucrute, beterraba, creme azedo, cogumelos, mel, ervas frescas, queijo defumado e salsicha. O mercado tem também um salão moderno chique, mas o verdadeiro charme só pode ser encontrado na área antiga do mercado.


A uma curta distância do centro da cidade, o aterro Rašínovo nábřeží, em Praga, fica repleto de amantes de produtos locais frescos aos sábados. A atmosfera das feiras, com suas degustações, barracas e muitas vezes música, atrai moradores e turistas. Nos últimos anos, o número de feiras aumentou de forma constante e agora há mais de 20 por semana na capital tcheca. Isso significa um renascimento das vendas de alimentos frescos de produtores regionais, que foram interrompidos à força durante o período comunista. 


O mercado “Matache Măcelaru” fica a uma curta distância da principal estação ferroviária de Bucareste, no cruzamento entre a Calea Griviței e a Calea Buzești, o local favorito dos comerciantes no final do século XIX. Um deles era o açougueiro Loloescu Matache. Ele começou a fazer negócios após a Guerra da Independência da Romênia, por volta de 1879, quando começou a construir o famoso salão de Matache, que foi recentemente demolido. Naquela época, o mercado ficava localizado nos arredores de Bucareste. Em 1948, tornou-se o mercado estatal "Ilie Pintilie", em homenagem a um ex-líder comunista romeno. O principal mercado do distrito “Drumul Taberei” de Bucareste também por muito tempo teve o nome de outro político comunista, Alexandru Moghioroş. Mas logo após a queda do comunismo, ele foi rebatizado com o nome do famoso maestro romeno Sergiu Celibidache, e ainda é o mercado preferido da população local.


O Jean Talon Market, fundado em Montreal em 1933 e batizado em homenagem ao primeiro governador da Nova França, é um dos maiores mercados da América do Norte. Ele fica aberto durante as quatro estações do ano. Seus visitantes - mais de 2,5 milhões em 2018, incluindo turistas - compram frutas, verduras, hortaliças, ervas e flores de agricultores locais, cujas fazendas geralmente ficam a 50 km do mercado.

Localizado no bairro de Little Italy, este mercado multicultural é famoso pela riqueza de produtos orgânicos e produtos regionais da província do Quebec.

Essas "cenas da vida" foram capturadas entre o final do verão e o natal de 2018.


Adaptação: Fernando Hirschy

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.