Aumentam casos de contaminação pelo coronavírus na Suíça

Um homem de 28 anos de idade foi internado no Hospital Universitário de Genebra (foto) após o teste ter dado positivo para o coronavírus. © Keystone / Martial Trezzini

Suíça toma medidas sem precedentes para impedir a propagação do novo coronavírus. Atualmente 36 casos já foram detectados pelas autoridades.

Este conteúdo foi publicado em 02. março 2020 - 17:00
Keystone-SDA/sb

Ao começar a semana, o ministério suíço da Saúde (BAG) exortou a população a evitar o aperto de mãos e fazer atenção às regras de higiene como lavar bem as mãos, bem como como evitar de espirrar e tossir sem proteção da boca. 

O vírus representa um risco moderado para a população, mas a probabilidade de mais casos serem diagnosticados é elevada. As instituições médicas estão preparadas para realizar a detecção precoce e testes de casos suspeitos.

A decisão do governo suíço de cancelar todos os grandes eventos no país foi tomada pouco antes da Organização Mundial de Saúde (OMS), com sede em Genebra, elevar o alerta de risco de impacto para o coronavírus em todo o mundo para "muito alto"- 

O ministro suíço do Interior, Alain Berset, responsável pela área de saúde, declarou ao jornal SonntagsZeitung que era melhor evitar a habitual saudação de três beijos, um hábito social na Suíça.

As autoridades consideram que ainda não há necessidade de fechar as escolas, como já ocorreu em países como o Japão. Porém medidas mais drásticas estão previstas caso as autoridades sintam que a transmissão do vírus não está sob controle.

Mais de 500 pessoas na Suíça foram testadas até então para o novo coronavírus. Os médicos recolhem amostras da secreção do nariz e da garganta. Devido à suspeita de contaminação, várias pessoas já estão em quarentena. O número de laboratórios de testes na Suíça aumentou, assim como sua capacidade de realizar os testes: mil por dia.

As autoridades suíças confirmaram uma série de novos casos de coronavírus, que estão se espalhando por todo o país.

Conteúdo externo

Alguns deles, registrados há pouco pelas autoridades:

Genebra: na última sexta-feira (28/02), o teste deu positivo para um cidadão italiano de 55 anos, funcionário de uma organização internacional na cidade. O homem, que vive em França, retornou há pouco de uma viagem à Milão. Alguns dos colegas de trabalho em Genebra foram colocados sob quarentena como precaução.

Zurique: As autoridades cantonais confirmaram um segundo caso na região também na sexta-feira. O homem de 45 anos retornou de Milão, mas não estava relacionado com outro caso detectado em Zurique. Pessoas que tiveram contato com ele foram colocadas também sob quarentena.

Basiléia-cidade: Uma professora de creche teve resultado positivo para os exames clínicos. Todas seus alunos foram colocadas sob quarentena por 14 dias. O número exato de crianças afetadas ainda não foi confirmado. O parceiro da mulher afetada, um homem de 23 anos, também foi infectado.

Zurique: as autoridades cantonais confirmaram 27 de fevereiro que uma mulher de 30 anos esteve em Milão há uma semana, onde foi infectada pelo coronavírus.

Argóvia: um homem de 26 anos infectado por coronavírus foi internado na quinta-feira (27/02) no hospital cantonal. Ele esteve em Verona há uma semana em uma viagem de negócios. Seus familiares foram colocados sob quarentena e seu estado de saúde ainda é considerado bom pelos médicos, informaram as autoridades.

Grisões: as autoridades cantonais confirmaram dois casos positivos na quinta-feira. As duas pessoas infectadas são crianças italianas que passavam férias na região. Elas foram hospitalizadas, mas gozam de boa saúde.

Genebra: um caso confirmado também na quinta-feira. O homem de 28 anos de idade foi internado e apresenta sintomas leves da doença. Ela também esteve em Milão à trabalho. O segundo caso ocorreu um dia depois: um italiano de 55 anos que trabalha em Genebra e vive em França.

Ticino: O primeiro caso da Suíça foi confirmado na terça-feira (25/02). O sexagenário foi infectado quando viajava através da região de Milão. Na sexta-feira foi anunciado que ele estava curado e já retornou à sua residência. Entretanto, pouco depois as autoridades registavam um novo caso.

Casos nos países vizinhos

Itália: 1.694 (34 falecimento)

França: 130 (2)

Alemanha: 130

Áustria: 14

Fonte: Johns Hopkins

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo