Grupo Exit registrou 10 mil novos membros em 2017

No ano passado, 10.078 novos membros se juntaram à organização de suicídio assistido Exit, conforme anunciou o grupo nesta terça-feira. Mas o número de suicídios efetivos caiu ligeiramente, enquanto que a idade média dos membros aumentou.

SDA-ATS
Uma das razões da alta demanda pelo suicídio assistido é a população cada vez mais velha, com uma expectativa de vida crescente. Porém, para muitos, viver mais não significa viver melhor. Keystone

No final de dezembro de 2017, a organização tinha 110.391 membros na Suíça de língua alemã e no cantão do Ticino, de acordo com os números no comunicado de imprensa. No ano passado, 734 pessoas encerraram suas vidas usando os serviços da Exit, em comparação com 723 no ano anterior.

O número de pedidos de pessoas que contemplam o suicídio assistido era de cerca de 3.500 - mil a mais do que em 2014. A Exit avaliou 1.031 desses pedidos, em comparação com 991 em 2016.

O número de pessoas que decidiram dar um fim aos seus sofrimentos com a ajuda da Exit foi de 734 em 2017. Embora os homens geralmente sejam mais propensos a cometer suicídio, a maioria das pessoas que utilizam a assistência da Exit são mulheres (60%).

Idade média dos membros aumenta

Possíveis razões para esta demanda elevada, e constante, de suicídio assistido incluem o aumento da adesão ano-a-ano, mas também uma sociedade cada vez mais envelhecida. No ano passado, a idade média de uma pessoa que usava os serviços da Exit aumentou para 78,1 anos, de 76,7 anos em 2016.

Como nos anos anteriores, as condições mais comuns para as quais as pessoas procuraram a ajuda da Exit foram câncer terminal, doenças múltiplas relacionadas à idade, bem como dor crônica.

A maioria dos pacientes da Exit vem da região de Zurique, seguidos pelos cantões de Berna, Argóvia (Argau), St Gallen, Cidade de Basiliea e Basileia-Campo.

Apesar da recente expansão dos cuidados paliativos, para os quais a Exit fez campanha durante 27 anos, o suicídio atende uma necessidade entre a população, disse a associação.

Os suicídios assistidos permanecem raros, no entanto, e representam apenas cerca de 1,5% das 66 mil mortes na Suíça a cada ano, de acordo com a Exit.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo