Navigation

Um Fórum Social em três continentes

Os participantes já estão em Caracas. Keystone

Os delegados suíços ao Fórum Social Mundial (FSM) aprovam a decisão de organizar pela primeira vez o encontro em três continentes.

Este conteúdo foi publicado em 23. janeiro 2006 - 12:46

Para eles, essa nova fórmula permite chamar ainda mais a atenção para a globalidade da luta contra a probreza no mundo.

Pela primeira vez desde sua criação, em 2001, o Fórum Social Mundial (FSM) - fundado por oposição ao Fórum Econômico Mundial de Davos (WEF) - reunirá organizações não governamentais em três cidades e em três continentes diferentes.

As cidades escolhidas para a edição 2006 do FSM foram Bamako, capital do Mali, Caracas, capital da Venezuela e Karachi, no Paquistão.

A primeira parte, em Bamako, termina nesta segunda-feira (23/01) e reuniu quase 30 mil particiapantes. A partir de amanhã até dia 29 eles estarão em Caracas. Uma série de encontros também está marcada para março, em Karachi.

Assim, os organizadores esperam que essa descentralização permitirá uma compreensão melhor do fato de que a luta contra a pobreza é um problema global.

Os mesmos objetivos

Paolo Gilardi, do Sindicado Suíço do Serviço Público (SSP) é membro da delegação suíça que vai a Caracas.

Questionado por swissinfo, ele afirma que o objetivo principal do FSM não mudou desde a primeira edição seis anos atrás.

"O objetivo é idêntico ao que sempre foi: reunir as forças contra a injustiça social e propor estratégias suscetíveis de conter a dominação do capitalismo global."

Paolo Gilardi acrescenta que o FSM é uma ocasião de ampliar contatos com outros representantes sindicais e organizações não governamentais. Permite ainda descobrir como é realmente a vida das pessoas nos países pobres.

"Nós que vivemos num país rico não temos lições a dar, explica Gilardi. Vamos para ouvir e aprender mais sobre os problemas econômicos e sociais do planeta."

Segundo ele, a descentralização do FSM não significa o fim das manifestações "antimundialização" em grande escala. "Não se pode falar de pequeno evento se Caracas vai reunir mais de 80 mil pessoas".

"Este ano, a idéia era evitar de concentrar todas as atividades do FSM em um lugar mas dar espaço para programas culturais e de desenvolvimento diferentes em três continentes."

Migração e desenvolvimento

Por isso as discussões em Bamako abordaram principalmente as questões das migrações da África e as disparidades sociais, enquanto em Caracas tratará mais dos problemas de desenvolvimento na América do Sul.

Os problemas enfrentados pela população não são os mesmos na Venezuela e na África", explica Paulo Filiardi. Por isso, é sensato organizar o FSM em continentes diferentes."

Ele acha, no entanto, que "poderemos julgar o sucesso desses encontros em três etapas somente depois de encerrados e avaliados."

swissinfo, Ramsey Zarifeh

Breves

- O Fórum Social Mundial (FSM) 2006 está na sexta edição. A primeira, em 2001, em Porto Alegre, propunha ser um Fórum alternativo ao Fórum Econômico Mundial (WEF) de Davos, Suíça, que ocorre todo ano, em janeiro.

- Este ano, o FSM é organizado pela primeira vez em três continentes diferentes.

- A primeira parte ocorre em Bamako (Mali), de 19 a 23 de janeiro.
Em Caracas (Venezuela) - de 24 a 29 de janeiro.
A terceira fase será em março, em Karachi (Paquistão).

End of insertion

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?