Navigation

Equipes de buscas falam de "chances mínimas" para bilionário alemão desaparecido

O bilionário alemão Karl-Erivan Haub, presidente do grupo varejista alemão Tengelmann, tem uma "chance mínima" de resgate, quatro dias depois de não ter retornado de uma excursão de esqui fora das pistas nos Alpes.

Este conteúdo foi publicado em 12. abril 2018 - 08:30
Haub dirige o grupo de varejo Tengelmann desde 2000 Keystone

Haub, herdeiro do império do varejo Tengelmann, saiu para esquiar no sábado, mas não retornou ao seu hotel no resort suíço de Zermatt.

"Há chances justificadas certamente nos primeiros dois ou três dias", disse Axel Mann, que lidera os esforços de resgate médico da operadora de helicópteros Air Zermatt, em entrevista coletiva na quarta-feira (11). "Atualmente, ainda vemos uma chance mínima".

A polícia continua a procura do experiente esquiador que foi visto pela última vez na estação de teleférico Klein Matterhorn, perto da fronteira com a Itália.

Anjan Truffer, chefe da equipe de resgate em Zermatt, disse: "Tivemos que concluir que, infelizmente, ele poderia estar em qualquer lugar".

Haub, 58 anos, cuja família está entre as mais ricas da Alemanha, dirige o grupo Tengelmann desde 2000. A empresa é proprietária da cadeia de lojas de bricolagem OBI e do “discounter” de roupas KiK.

Fendas nas geleiras

As autoridades disseram que 23 equipes de resgate e dois helicópteros ainda estavam em ambos os lados da fronteira entre a Suíça e a Itália.

O chefe dos serviços de resgate de montanha do vale de Aosta, na Itália, Adriano Favre, disse ao jornal suíço Blick que o mau tempo e um alto risco de avalanche no lado italiano forçaram uma equipe de seis pessoas a interromper sua busca na terça-feira (10).

Favre disse que Haub estava esquiando por conta própria, e como a área a 3.800 metros onde ele desapareceu inclui as geleiras, é possível que ele tenha caído em uma fenda.

Karl-Erivan Haub é a quinta geração da família a administrar o negócio que foi fundado em 1867 como importador de café e chá. Seu pai, Erivan Haub, morreu no mês passado em seu rancho nos Estados Unidos. A revista Forbes estimou sua fortuna em 6,4 bilhões de dólares.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.