Navigation

A aliança internacional de vacinas Gavi vence prêmio Princesa das Astúrias de Cooperação Internacional

Da esquerda para a direita, o magnata Bill Gates, o presidente da Gavi (Seth Berkley) e um diretor durante uma coletiva de imprensa, em 27 de janeiro de 2015, em Berlim afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 25. junho 2020 - 17:08
(AFP)

A aliança internacional Gavi, dedicada às campanhas de vacinação contra doenças infecciosas nos países menos desenvolvidos, foi premiada nesta quinta-feira (25) na Espanha com o prêmio Princesa de Astúrias de Cooperação Internacional, anunciou o júri.

A Gavi está presente em 73 países e sua rede de operações envolve governos, associações, ONGs, agências de desenvolvimento, fundações e empresas.

Desde sua criação há duas décadas "ela conseguiu que praticamente a metade da população infantil do planeta estivesse protegida por rotinas de vacinação", destacou um comunicado dos jurados.

"Com atenção especial à vacinação infantil, a Gavi (Aliança Global para Vacinas e Imunização) estima que, desde sua criação em 2000, tenha imunizado com sucesso mais de 760 milhões de crianças em todo o mundo", e "evitado a morte de mais de 13 milhões de pessoas", acrescentou o júri.

Os jurados explicaram que, graças ao trabalho da aliança, "o número de vacinas que os habitantes dos países mais pobres têm acesso aumentou de 5 para 17", incluindo vacinas contra difteria, tétano, hepatite B, cólera, tifo, febre amarela e poliomielite.

Segundo informações do seu site, a Gavi lançou no início de junho um instrumento financeiro com o qual pretende levantar US$ 2 bilhões para incentivar os fabricantes de produtos farmacêuticos "a produzir quantidades suficientes de uma possível vacina contra a COVID-19 e garantir o seu acesso aos países em desenvolvimento".

"Os instrumentos financeiros e institucionais criados pela Gavi (...) tornaram possível arrecadar bilhões de dólares e incentivar um rápido avanço na pesquisa e produção de novas vacinas e sua introdução no mercado", o júri ressaltou, ao fazer um balanço da contribuição da entidade.

A aliança Gavi, formada por entidades públicas e privadas e com sede em Genebra, foi criado com o apoio da Fundação Bill e Melinda Gates (Prêmio Príncipe das Astúrias de Cooperação Internacional em 2006) e da Unicef, da Organização Mundial Saúde e do Banco Mundial.

"É uma verdadeira honra para a Gavi (...) receber este prestigiado prêmio e reconhecimento por seu trabalho para salvar vidas, reduzir a pobreza e proteger o mundo da ameaça da epidemia de doenças infecciosas, incluindo as pandemias", afirmou o CEO da aliança, Seth Berkley, em comunicado.

Na competição da categoria Cooperação Internacional deste ano, houve 34 candidatos de 18 países.

O vencedor do último ano foi o matemático americano Salman Amin Khan, criador da Khan Academy, uma ampla plataforma digital que oferece material educacional gratuito para todos que a acessarem.

- Fim da temporada do Princesa das Astúrias 2020 -

Com a Gavi, está encerrada a temporada deste ano da premiação Princesa das Astúrias, considerada a mais prestigiada do mundo espanhol.

Em um ano marcado pelos efeitos da pandemia de coronavírus, nesta quinta-feira ocorreu o segundo incentivo da Fundação Princesa das Astúrias para o mundo da medicina, desde que o primeiro prêmio concedido, o de Concordia, foi para uma equipe médica espanhola.

Da mesma forma, nas semanas anteriores, o Prêmio de Artes foi concedido aos compositores de trilhas sonoras, Ennio Morricone e John Williams, e o Prêmio de Comunicação e Humanidades foi entregue à Feira do Livro de Guadalajara (México) e ao Hay Festival of Literature (País de Gales).

Em Ciências Sociais, quem venceu foi o economista turco Dani Rodrik. Em Esportes, o piloto veterano espanhol, Carlos Sainz, e em Literatura, a canadense Anne Carson.

Na área de pesquisa científica e técnica, os matemáticos franceses Yves Meyer e Emmanuel Candès, a belga Ingrid Daubechies e a australiana Terence Tao foram agraciados com a premiação.

A premiação, criada em 1981, tem o valor de 50.000 euros e recebem uma escultura projetada por Joan Miró.

Os prêmios devem seu nome à herdeira do trono da Espanha, a princesa das Astúrias, Leonor. Eles serão entregues pelos reis Felipe e Letizia em outubro, em uma cerimônia solene no Teatro Campoamor, em Oviedo, capital da região das Astúrias.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.