Navigation

Autoridades peruanas investigam vacinação contra Covid com seringas vazias

(Abril) Equipe médica chega a comunidade carente de Lima para imunizar idosos afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. maio 2021 - 18:23
(AFP)

O Peru começou nesta terça-feira a investigar denúncias de que pessoas teriam sido vacinadas contra a Covid-19 com seringas vazias, anunciou o Ministério da Saúde do país.

"Foi aberta uma investigação sobre três denúncias, para determinar se existe a responsabilidade de equipes médicas ou se foram fatos ocasionais", informou a pasta. "As medidas de vigilância e controle estão sendo intensificadas. Caso se identifique algum ato irregular, sanções cabíveis serão aplicadas."

"Isso foi uma violação clara do protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde", declarou o presidente interino, Francisco Sagasti. "Qualquer pessoa que o tenha descumprido e tenha tentado cometer um delito será duramente punida."

O acompanhante de uma religiosa registrou em vídeo publicado nas redes sociais o momento em que o enfermeiro que iria imunizá-la pretendia fazê-lo sem a dose da vacina Pfizer. Quando o acompanhante reclamou, o funcionário retificou o procedimento, mostram as imagens, divulgadas ontem. O incidente aconteceu em Lima e gerou rumores de um possível mercado clandestino de vacinas, do qual equipes da área de saúde teriam conhecimento.

Um episódio semelhante foi vivido por outra mulher dias atrás, também na capital. "Queremos fazer um chamado para que as equipes médicas trabalhem com transparência. Acredito que também seja importante uma vigilância cidadã", disse o ministro da Agricultura, Federico Tenorio.

Segundo as cifras oficiais, o Peru já imunizou 2.087.463 pessoas com a primeira dose e 699.745 com a segunda, em um país de 33 milhões de habitantes. A campanha avança lentamente, devido à escassez de doses e de postos de vacinação.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?